Arquivo diários:28 de março de 2019

Brasileira vence Prêmio de Defensora Militar do Gênero da ONU


A oficial brasileira (esquerda) disse estar muito orgulhosa com a escolha Minusca/Hervé Serefio

A capitã de corveta da Marinha brasileira Márcia Andrade Braga é a vencedora do Prêmio de Defensora Militar do Gênero das Nações Unidas. A boina-azul serve na Missão da ONU na República Centro-Africana (Minusca) desde 2018.

A homenagem, criada em 2016, reconhece a dedicação e os esforços individuais de um soldado de paz para “promover os princípios da Resolução de Segurança da ONU 1325 sobre mulheres, paz e segurança”.

Brasileira vence Prêmio de Defensora Militar do Gênero das Nações Unidas,Márcia Andrade Braga

A oficial brasileira receberá o prêmio nesta sexta-feira (29) das mãos do secretário-geral da ONU, António Guterres, na Reunião Ministerial de Manutenção de Paz de 2019, na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque.

***

Orgulho

Márcia Braga foi professora e também ajudou a treinar e a aumentar a consciência dos seus colegas sobre a dinâmica de gênero na operação de paz. Ao saber do prêmio, ela disse estar muito orgulhosa por sua seleção e que “missões da ONU precisam de mais mulheres para manter a paz, para que as mulheres locais possam falar mais livremente de questões que afetam suas vidas”.

Para o subsecretário-geral do Departamento de Operações de Paz das Nações Unidas, Jean-Pierre Lacroix, a oficial brasileira “é um excelente exemplo”, porque a ONU precisa de mais mulheres na manutenção da paz.

Lacroix destaca que essa tarefa “funciona de forma eficaz quando as mulheres desempenham papéis significativos e quando as mulheres nas comunidades anfitriãs estão diretamente envolvidas.”

***

Necessidades e realizações

Como conselheira militar de Gênero na Minusca, a capitã ajudou a criar uma rede de conselheiros de gênero e a capacitar pontos focais entre as unidades militares. Ela também promoveu o uso de equipes mistas de homens e mulheres para realizar patrulhas no país que “reuniram informações para ajudar a entender as necessidades exclusivas de proteção” de pessoas de todos os gêneros.

Os beneficiários ajudaram a desenvolver projetos comunitários em prol de comunidades vulneráveis, que incluem a instalação de bombas de água perto de aldeias, a iluminação com energia solar e o desenvolvimento de hortas comunitárias. Um dos objetivos era que as mulheres não tivessem que percorrer grandes distâncias para cuidar das plantações.

Segundo a ONU, Márcia Braga foi “uma força motriz por trás do envolvimento da liderança da missão com mulheres líderes locais, assegurando que a voz de mulheres centro-africanas seja ouvida no processo de paz em curso”.

(Agência Brasil, com informações da ONU News)

CEI Mirassol e Zona Sul promovem Aulão integrado sobre desastre em Brumadinho-MG; alunos de outras escolas podem participar

No próximo domingo (31/03) as escolas CEI Mirassol e CEI Zona Sul realizarão um Aulão Integrado, com o tema Desastre em Brumadinho: implicações sociais, geográficas e ambientais. Atividade acontecerá no auditório do CEI Mirassol, entre 08 e 11h e será aberta para alunos de outras escolas.

O Aulão contemplará quatro componentes curriculares e será conduzido de forma integrada pelos professores João Carlos (Geografia), João Melo (Biologia), José Emerson (Biologia) e Kennia Ísis (Filosofia/Sociologia).

As inscrições podem ser feitas até às 17h do dia 29 de março, na secretaria das escolas, ao custo de R$ 15,00.

***

Tragédia em Brumadinho-MG

A tragédia de Brumadinho-MG aconteceu no dia 25 de janeiro de 2019, quando uma barragem de rejeitos da empresa Vale S.A, localizada no ribeirão Ferro-Carvão, na região de Córrego do Feijão, se rompeu, resultando em um desastre industrial e ambiental , com mais de 200 mortes.

***

Serviço:

Aulão: Desastre em Brumadinho-MG

Local: Auditório do CEI Mirassol – R. Cel. João Medeiros, 614-892 – Lagoa Nova, Natal – RN

Hora: das 08h às 11h

Valor: R$ 15,00

Sindsaúde realiza hoje protesto na porta da ALRN contra Projeto que paga retroativos aos deputados: “é revoltante”

A manhã de hoje promete ser agitada na porta da Assembleia Legislativa do RN.

Depois que a governadora Fátima Bezerra (PT) lavou as mãos e deixou o caminho livre para o presidente da ALRN, deputado Ezequiel Ferreira, promulgar o vergonhoso Projeto de Lei que regulamentou o pagamento do 13° salário e Férias dos deputados, incluindo repasse dos valores retroativos a 2015, o Sindsaúde decidiu protestar.

A Governadora Fátima Bezerra (PT) que tinha até o dia 20 de março para aprovar ou vetar o Projeto de Lei, não se posicionou, contribuindo para que a Lei fosse promulgada pelo presidente da Casa.

Essa é uma situação vergonhosa! Não vamos admitir que enquanto os servidores passam por dificuldades, os deputados aprovam um Projeto absurdo. É um desrespeito a nossa dor“, afirmou a diretora do Sindsaúde, Maria do Carmo.

Os servidores recebem a aprovação do Projeto como uma afronta, vez que o Estado atravessa grande crise financeira, onde os próprios salários dos servidores se encontram em atraso. Para Maria do Carmo, “é revoltante”.

O ato público acontece a partir das 9h, em frente a Assembleia Legislativa.

Câmara aprova divórcio imediato em casos de violência doméstica

A Câmara dos Deputados aprovou ontem (27) um projeto de lei que permite à vítima de violência doméstica solicitar ao juiz a decretação imediata do divórcio ou do rompimento da união estável. A matéria segue para apreciação do Senado.

O texto aprovado prevê a necessidade de a vítima ser informada sobre o direito de pedir imediatamente o divórcio e a possibilidade de o juizado decidir sobre esse divórcio sem tratar da partilha de bens, que poderá ser feita posteriormente.

A relatora do texto aprovado, deputada Erika Kokay (PT-DF), destacou que atualmente a lei já permite o divórcio ou a dissolução da união estável em qualquer hipótese, sem a necessidade de que a vítima comprove violência doméstica para que o vínculo seja rompido.

“Mesmo assim, o projeto tem grandes méritos. O primeiro é chamar atenção para o fato de que, entre as vítimas de violência doméstica e familiar, ainda há grande desinformação sobre a possibilidade de ajuizamento imediato da ação de divórcio, sendo útil colocar na lei a necessidade de orientar as vítimas sobre essa alternativa“, afirmou a deputada.

(Agência Brasil)

NOVOS PADRÕES – União Europeia proíbe uso de copos, cotonetes e canudos

Lei passa a valer a partir de 2021 e busca reduzir a poluição


Foto Martine Perret/ONU Meio Ambiente

No esforço de combater o lixo nos oceanos, rios e lagos, assim como a poluição como um todo, o Parlamento Europeu aprovou, nesta quarta-feira (27), a proibição do consumo de uma série produtos plásticos nos países que formam o bloco. A lista tem dez itens e inclui cotonetes, pratos, canudos, copos, recipientes para alimentos e bebidas. A proibição passa a valer a partir de 2021.

As exceções se referem aos materiais de pesca e artes.

Pelo texto aprovado, as embalagens utilizadas no âmbito da União Europeia devem ser adequadas até 2030.

O primeiro vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans, disse que os europeus saem na frente. “A Europa está estabelecendo padrões novos e ambiciosos, pavimentando o caminho para o resto do mundo.”

A comissária Karmenu Vella elogiou a iniciativa. “Todos devemos estar muito orgulhosos destas novas regras porque combatem a poluição dos plásticos marinhos na sua nascente”, disse. “Nossa principal tarefa será assegurar que estas medidas ambiciosas sejam rapidamente implementadas na prática, o que constituirá um trabalho comum para as autoridades públicas, os produtores e os consumidores.”

Nas discussões de hoje, os parlamentares definiram ainda que 90% das garrafas plásticas sejam coletadas até 2029 (77% até 2025). Há, ainda, a recomendação para incorporar 25% de plástico reciclado em garrafas PET a partir de 2025 e 30% em todas as garrafas plásticas a partir de 2030.

(Agência Brasil)