Blog editado a partir de Natal/RN - Brasil.

Publicidade
Instagram
Twitter
Publicidade
Buscar
Calendário
agosto 2017
S T Q Q S S D
« jul    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
Publicidade
Publicidade

Posts da ‘GREVE’

Sindicatos paralisam atividades em todo o estado; “O governo perdeu totalmente o equilíbrio, não sei se por incompetência ou imperícia”

Representantes dos sindicatos da saúde do estado se reuniram no Sindicato dos Médicos do RN nas últimas semanas para debater o caos na saúde em todas as esferas públicas e definir ações de enfrentamento a situação.

Para expor estes graves problemas da saúde estadual, os sindicatos da saúde e todas as entidades médicas do estado vão participar de Coletiva de Imprensa no dia 01 de setembro, às 9h, no Sinmed RN.

Além da crônica falta de insumos, remédios e vagas em leito de UTI nas unidades hospitalares, nos últimos meses o problema tem se agravado com a falta de segurança, falta de alimentação para servidores e acompanhantes, atraso nos pagamentos e, esta semana, até o lixo está acumulado nas unidades devido à greve da empresa que recolhe os resíduos nos hospitais do estado.

Para Pablo Renoir, diretor do Sindicato dos Farmacêuticos do RN, esta é uma situação de calamidade pública. “O governo perdeu totalmente o equilíbrio, não sei se por incompetência ou imperícia, e temos um grande desmantelo da máquina pública”, afirma.

Esta é a pior crise que vivencio na saúde. Não me lembro de situação semelhante”, lamenta Geraldo Ferreira, presidente do Sinmed RN.

Os temas que serão tratados durante a Coletiva são a solicitação de visita da Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal e pedir intervenção do Ministério da Saúde na Sesap, além de anunciar a paralisação do dia 2/9 e possível greve geral no estado.

Os sindicatos participantes da mobilização são: Sindicato dos Odontologistas do RN (SOERN), Sindicato dos Técnicos e Tecnólogos em Radiologia do RN (SINTTAR), Sindicado de Enfermagem, Técnicos Duchistas, Massagistas e Empregados em Clinicas e Casas de Saúde do Estado do Rio Grande do Norte (SIPERN), Sindicato dos Farmacêuticos do RN (SINFARN), Sindicato dos Enfermeiros do Estado do RN (SINDERN), Sindicato dos Servidores da Saúde do RN (SINDSAÚDE) e Sindicato dos Médicos do RN (SINMED RN).

Entidades Médicas: Conselho Regional de Medicina (CRMRN), Associação Médica (AMRN), Academia de Medicina, Cooperativa de Anestesiologistas (COOPANEST) e Cooperativa Médica (COOPMED).

 

PARALISAÇÃO

No dia 02 de setembro todas as categorias ligadas aos sindicatos do movimento unificado pela saúde realizam paralisação de 24 horas nos atendimentos. No mesmo dia, às 8h30, será promovido um ato público com concentração na Sesap, às 8h30, e caminhada até a prefeitura em seguida.

 

Agenda dos sindicatos da saúde

01/09 – Coletiva de Imprensa, no Sinmed RN, 9h.

01/08 – Reunião com as entidades médicas do estado (Conselho Regional de Medicina, Associação Médica, Academia de Medicina, Cooperativa Médica, Cooperativa de Anestesiologistas), no Sinmed RN, 19h.

02/09 – Ato em frente à Sesap, 8h30. Dia de paralisação.

 

SERVIÇO:

Coletiva no SINDICATO DOS MÉDICOS DO RN

Tema: Solicitação de visita da Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal e intervenção do Ministério da Saúde na Sesap

 

Porta-vozes:

Geraldo Ferreira – presidente do Sinmed RN; Ivan Tavares – Presidente do Soern; Simone Dutra – Diretora do Sindsaúde; Pablo Renoir – Diretor do Sinfarn; Domingos – presidente do Sipern; Luciano – Diretor do Sindern.

Local: Sede do Sinmed RN – Rua Apodi, 244, Cidade Alta (ao lado da Unimed)

Data/Horário: Quinta-feira (01/09/2016), às 9h

 

Diretoria do Sinasefe Natal se reúne com Comando de Greve para avaliar a greve no IFRN

A diretoria do Sinasefe Seção Sindical Natal se reuniu nesta segunda-feira (23) com o Comando Geral de Greve para discutir e avaliar a greve dos técnico-administrativos em educação (TAEs) do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) e definir novas estratégias de organização e mobilização para os próximos dias.

Foto AssessoriaAs visitas realizadas pelo Comando de Greve nos Campi do IFRN, através do Comando Itinerante, na semana passada, foram avaliadas como positivas na reunião, assim como o ato de ocupação ininterrupta de 30h da Reitoria, iniciado às 17h do dia 19 de novembro e finalizado às 23h do dia 20 de novembro. Para a diretoria do Sinasefe Natal, o ato de ocupação na Reitoria representou um movimento simbólico e político que demarcou a luta dos servidores neste processo de greve do movimento local.

No encontro, a diretoria do Sindicato e o Comando Geral de Greve constataram, em suas avaliações, que o momento de formação política estava contida em todas as atividades realizadas e que ele prossegue nesta semana com estudos e debates com a categoria e a ampliação das discussões com os representantes dos Grêmios no Campus Natal-Central.

Além das avaliações e da organização das estratégias para esta semana, também foi constatado a necessidade de se dedicar aos estudos dos documentos referentes à discussão das 30h, que será feito nesta terça-feira (24), a partir das 9h, na Sala de Reuniões da DIAC.

Na programação para os próximos dias, ainda estão inseridas a produção de um vídeo com os esclarecimentos necessários sobre o pleito das 30h e uma reunião com o reitor, Belchior de Oliveira, que está prevista para a próxima sexta-feira (27), às 9h, na Reitoria. Participarão desta reunião, a diretoria do Sinasefe Natal, o Comando Geral de Greve e um representante do Sinasefe-DN.

Na reunião, também já ficou definida a data da próxima assembleia, que será realizada no dia 30 de novembro, quando será feita uma nova avaliação pela categoria do Movimento Paredista Local. A assembleia acontecerá às 9h, no Pátio da Reitoria.

O Comando Geral de Greve e a diretoria do Sinasefe Natal ressaltam a importância da participação de todos os servidores nos atos programados para o fortalecimento da luta pela jornada das 30h dos TAEs do IFRN.

Confira, abaixo, a programação das atividades desta semana:

 

-24/11 (Terça-feira) – 9h – Estudo e debate dos documentos referentes à greve (Portaria de Diretrizes, Portaria de Serviços e alteração do Decreto 1.590/95) – Local: Sala de Reuniões da DIAC – Campus Natal-Central;

-25/11 (Quarta-feira) – 14h – Produção de vídeo referente às 30h – Local: Sala de Áudio de Informática I;

-26/11 (Quinta-feira) – 8h – Reunião com representantes dos Grêmios – Local: Sala de Áudio de Informática I;

-27/11 (Sexta-feira) – 9h – Reunião prevista com o reitor – Local: Reitoria.

Bugueiros profissionais do RN podem paralisar atividade na próxima quinta (5)

O passeio de buggy, um dos principais atrativos turísticos do Rio Grande do Norte, pode estar ameaçado para a alta estação. Os bugueiros profissionais estão organizando uma paralisação das atividades na próxima quinta-feira (5) em protesto contra a falta de fiscalização dos passeios clandestinos e contra a perseguição de fiscais.

Divulgação_De acordo com Luiz Thiago Manoel, presidente do Sindicato dos Bugueiros Profissionais do RN (Sindbuggy), vários veículos estão conseguindo placas vermelhas através de favores políticos nos municípios e realizando passeios clandestinamente sem a autorização da Secretaria de Estado do Turismo (Setur).

Nós, bugueiros profissionais, temos que passar por cursos de qualificação, temos que ter uma autorização para rodar, um registro na Setur para realizar os passeios e o que estamos vendo é que, cada vez mais, clandestinos estão realizando passeios só porque tem a placa vermelha. Tem até carro com falso adesivo de permissionário. Falta fiscalização“, denunciou lembrando que a atividade é disciplinada pela lei estadual 8.817 de 2006.

Além da falta de fiscalização contra os passeios clandestinos, o Sindbuggy também denuncia que policiais militares do Comando de Policiamento Rodoviário Estadual (CPRE) e fiscais do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) estão descumprindo a Portaria 711/07 que regulamenta o acesso dos buggys às praias.

Tem bugueiro sendo multado por estar trafegando em praias permitidas pela portaria do Detran. Será que o turista que vê uma coisa dessas volta? E como fica a situação do bugueiro? Nós estamos errados ao ajudar o turismo do Estado dentro da lei? O que queremos é que o poder público resolva esses problemas“, concluiu.

Nesta terça-feira (3) haverá uma reunião da categoria com representantes da Setur e do Detran para encontrar uma solução definitiva para o problema, já que está começando o período da alta estação. Se não houver solução, os bugueiros farão uma paralisação de advertência na próxima quinta-feira (5) e não descartam medidas mais sérias para cobrar.

GOVERNO SEM PALAVRA – Governo Robinson Faria não cumpre acordo e militares do RN já convocam assembleia geral para a próxima segunda-feira (14)

Nesta segunda-feira, 14, às 8h, os policiais e bombeiros militares estaduais se reúnem em assembleia geral em frente à Governadoria no Centro Administrativo para deliberar sobre as demandas da categoria que continuam sem providência. Durante o mês passado os policiais acamparam no mesmo local com objetivo de pressionar o governo para resolver questões pendentes, como o calendário de promoções até agosto/2016, o pagamento dos promovidos em abril em folha suplementar e a atualização dos vencimentos desses promovidos em 2012, 2013 e 2014.

PALAVRA NO LIXOOs militares chegaram a cogitar uma paralisação geral caso não houvesse nenhum acordo com os representantes do Estado. No entanto, em reunião realizada no dia 27 de agosto, o governo do RN assegurou o pagamento das promoções efetuadas em abril até 11 de setembro deste ano em folha complementar e com efeito retroativo. Já as promoções de 2012 a 2014 seriam pagas em outubro e novembro deste ano, como também ficaria assegurada a publicação das promoções. Porém, a solicitação formal das medidas só foi protocolada junto à Consultoria Geral do Estado (CGE) na última sexta-feira (4), depois da cobrança das associações, atrasando os prazos estipulados e novamente impossibilitando a resolução dessas questões.

Assim sendo, as associações dos policiais e bombeiros militares retomam as ações de mobilização para deliberar sobre os próximos passos. O presidente da ASSPMBM/RN, Eliabe Marques acredita que o não cumprimento do acordo por parte do governo provoca um descrédito entre os militares. “Na última reunião, nós, praças da PM, aceitamos as condições propostas pelo governo, desmontamos o acampamento com a garantia de que em até 72 horas teríamos a publicação das promoções, e isso não aconteceu. Agora vamos nos articular para definir os próximos passos nessa luta”, completa Eliabe.

 

187 pacientes jogados em macas e colchões pelos corredores dos hospitais do Estado é o retrato da saúde do governo Robinson Faria

CORREDÔMETROO estado vexatório, de abandono e desrespeitoso da saúde do RN, promovida pelo Governo Robinson Faria, atingiu números recordes esta semana, tendo como referência a contagem do Corredômetro RN.

Atualizado nesta terça-feira (8), o Corredômetro RN anuncia o número recorde, desde a sua criação, de 187 pacientes jogados em macas pelos corredores e salas improvisadas nos quatro principais hospitais do Estado (Walfredo Gurgel e Santa Catarina, em Natal; Deoclécio Marques, em Parnamirim; e Tarcísio Maia, em Mossoró). São 117 pacientes em macas no corredor e 70 em outros locais no hospital.

Como de costume, o Walfredo Gurgel lidera a contagem com 92 pacientes em macas, sendo 54 nos corredores e 38 em outros locais do hospital. O caos é tão absoluto que no setor de Politrauma havia pacientes em macas no chão. Parte do aumento foi devido ao feriado. “Ontem havia pacientes deitados em colchões, porque não havia sequer mais macas”, denuncia Manoel Egídio Jr, vice-coordenador do Sindsaúde-RN e enfermeiro do hospital. “O governo diz que Setembro é o mês da cidadania, mas como falar em cidadania com esse desrespeito aos direitos humanos? Não se pode fechar os olhos pra isso”, desabafa Egídio.

 

SOBRE O CORREDÔMETRO RN

O Corredômetro RN é um levantamento feito semanalmente pelo Sindsaúde nos quatro maiores hospitais do RN: Walfredo Gurgel e Santa Catarina, em Natal, Deoclécio Marques, em Parnamirim, e Tarcísio Maia, em Mossoró. Nestas 11 semanas, a média da soma de pacientes em macas é de 166, sendo 100 nos corredores e 66 em outros locais.

Nova rodada de discussões debate greve da UERN que já passa dos 107 dias

Uma nova rodada de discussões, desta vez com o Ministério Público junto ao Tribunal de Contas do Estado (MPjTCE), debateu impasses e possíveis soluções da greve que paralisa há mais de cem dias as atividades da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern).

MPjTCEO encontro, proposto pela senadora Fátima Bezerra, contou com as presenças dos procuradores do MPjTCE, Luciano Ramos e Thiago Guterres; do reitor da Uern, professor Pedro Fernandes; pro-reitores; de representantes da Associação dos Docentes (Aduern) e do Sindicato dos Técnicos Administrativos (Sintauern); e do Comando de Greve. O chefe de Gabinete da senadora Fátima Bezerra, Adriano Gadelha, representou o mandato.

O procurador-geral do MPjTCE, Luciano Ramos, esclareceu sobre as possibilidades e impedimentos que a lei de Responsabilidade Fiscal prevê para reivindicações que onerem a folha de pessoal. Na ocasião, ficou definido que o reitor Pedro Fernandes enviará para análise do procurador os documentos que comprovam as medidas de contenção de gastos e redução dos custos da Universidade, realizadas pela atual gestão. Essas medidas, enfatizou o professor, possibilitam a concessão das reivindicações sem que haja necessidade de suplementação de recursos por parte do Governo do Estado.

A reitoria da Uern também deverá enviar consulta ao TCE sobre a viabilidade de um Termo de Ajustamento de Gestão (TAG) com fim de solucionar o impasse.

***

O BLOG RELEMBRA: No último sábado (5) a secretária adjunta de educação do Estado, Maria do Socorro, foi exonerada após se dirigir à primeira-dama, Julianne Faria, no evento de abertura do ‘Setembro Cidadão’, pedindo uma solução para a greve da UERN e que destacando que este governo não poderia ser campeão em dias de greve, comparando a gestões anteriores. Pelo constrangimento a que submeteu a toda poderosa primeira-dama do RN, a exoneração foi a sua sentença. Maria do Socorro é funcionária de carreira da UERN e era indicação do PT na secretaria de educação. E como ficará a relação PT x Robinson Faria? A saber.

Servidores do MPU entram em greve no RN contra “reajuste negativo”

Os servidores do Ministério Público Federal (MPF) e do Ministério Público do Trabalho (MPT) no Rio Grande do Norte entraram em greve nesta terça-feira, 1º de setembro, na luta pela recomposição de seus salários, que já acumulam perdas de 67% nos últimos nove anos, de acordo com o Dieese e baseado no IPCA. A categoria rejeita o substitutivo negociado entre a Administração do MPU e o Governo Federal, que poderá resultar, até mesmo, em redução de salários para o próximo ano.

A Administração do MPU chegou a emitir uma nota, no dia 14 de agosto, garantindo que mantinha “a disposição em atender e apoiar a decisão da categoria” de lutar pelo texto original do PLC 41/2015. Porém seis dias depois decidiu enviar ao Congresso um substitutivo negociado entre a Administração e o Executivo (sem participação dos servidores), apesar de todas as assembleias convocadas pelo sindicato da categoria (Sinasempu) terem sido contrárias à proposta.

O substitutivo já foi aprovado no Senado e aguarda votação na Câmara. O Governo Federal e a Administração do MPU defendem a proposta alegando se tratar de um reajuste de 41%, sem detalhar que o valor final só será atingido em julho de 2019, sendo provável que não recomponha nem mesmo a inflação dos próximos quatro anos, muito menos as perdas já acumuladas.

Outro dado que Administração e Executivo escondem é que esses supostos 41% irão absorver um direito dos servidores já conquistado na Justiça e por decisão do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), que um mês atrás garantiu uma recomposição de 13,23% aos servidores, em decorrência de uma irregularidade cometida pelo Governo Federal em 2003, quando do reajuste do funcionalismo.

Com a perda desses 13,23%, o próprio texto do substitutivo admite que alguns servidores terão redução salarial em 2016. Em seu artigo 24, o substitutivo prevê que uma “vantagem pessoal nominalmente identificada” será concedida caso haja “redução de remuneração” resultante da aplicação da lei.

Aderiram à greve, no Rio Grande do Norte, a sede da Procuradoria da República em Natal e as procuradorias da República em Mossoró, Caicó e Pau dos Ferros, além da Procuradoria Regional do Trabalho (PRT) na capital e as unidades do MPT em Mossoró e Caicó. Os servidores lutam para que a Administração do MPU retire o substitutivo e apoie a aprovação do PLC 41/2015.

Os servidores do MPF e MPT defendem a aprovação do texto original do PLC 41/2015, que prevê um reajuste médio de 56% a ser dividido em três anos. Ainda de acordo com o Dieese, esse percentual não irá repor sequer a inflação desde 2006, sem contar o índice que se acumulará até o fim de 2017.

A categoria também apoia a luta dos servidores da Justiça Federal em todo o Brasil, que já estão em greve há mais de três meses pela derrubada do veto ao PLC 28/2015.

 

Aumento de 115% – Ao mesmo tempo em que a Administração do MPU alega que não há condições para um reajuste melhor para os servidores, no mesmo substitutivo negociado com o Governo Federal foi acrescentado um aumento de 115% para 1.400 cargos comissionados, que podem ser ocupados por indicação, independente de concurso público.

Mesmo com o governo não se comprometendo a atender todas as reivindicações, militares desmontam acampamento

A negociação entre o Governo do Estado e os militares chegou a um desfecho. Após reunião realizada nesta quarta-feira, 19, a categoria decidiu desfazer o acampamento montado em frente à sede da Governadoria, no Centro Administrativo. Apenas um dos três pleitos não foi atendido, por ser comum a várias categorias e ter forte impacto financeiro.

Foto Rayane MainaraO Governo do Estado, através da Chefe do Gabinete Civil, Tatiana Mendes Cunha, reafirmou durante o encontro que fará, já no mês de setembro, a reposição salarial de 9% prevista na Lei complementar 514/2014 – acordada ainda na gestão passada -, e o pagamento, em folha suplementar, das remunerações de acordo com o posto e graduação dos 1.353 militares, entre oficiais e praças, promovidos em abril de 2015. Quanto às promoções realizadas no período de 2012 a 2014, o Governo propôs que estes vencimentos sejam regularizados em duas datas, outubro e novembro de 2015.

Já as promoções ex officio, que envolvem atualmente 3.967 militares, ocorrerão em quatro datas. A primeira neste mês de agosto, quando serão promovidos 843 militares, e as demais nos meses de dezembro de 2015, abril e agosto de 2016. Em cada uma das três últimas datas devem ser promovidos 1.113 militares.

Também participaram da reunião, o secretário adjunto de Segurança, Caio Bezerra, o consultor Geral do Estado, Eduardo Nobre, o secretário de Planejamento, Gustavo Nogueira, o adjunto da Administração, Marcelo Marcony, e os comandantes gerais da Polícia Militar, Coronel Ângelo Mário de Azevedo, e do Corpo de Bombeiros, Coronel Otto Ricardo Saraiva.

 

Governo insiste em não cumprir a legislação e Militares planejam paralisação caso o retorno da reunião desta quarta-feira (19) permaneça negativo

Nesta quarta-feira, 19, os representantes dos policiais e bombeiros militares estaduais se reúnem novamente com o governo do Estado na Governadoria, às 11h, para solicitar o cumprimento das demandas exigidas pela categoria que mantém acampamento no Centro Administrativo desde o dia 5 deste mês. A concentração dos militares está marcada para as 8h no Clube Tiradentes, ponto de partida da carreata que segue até a Governadoria para acompanhamento da reunião. Caso não haja acordo entre as partes, os policiais e bombeiros militares irão paralisar suas atividades a partir de 25 de agosto.

Acampamento___Uma primeira reunião já foi realizada na última segunda-feira (17), quando a cúpula da Segurança Pública e o governador Robinson Faria apresentaram propostas consideradas inaceitáveis pelos profissionais. O devido enquadramento dos níveis remuneratórios foi descartado pelo Poder Executivo, enquanto a remuneração de acordo com o posto e graduação seria paga em setembro aos promovidos no mês de abril deste ano. Os promovidos entre 2012 e 2014, por sua vez, seriam contemplados a partir de outubro.

A promoção ex officio seria concedida em um cronograma de seis parcelas aos que se enquadram no benefício – somente para este ano de 2015, existem 3.967 policiais militares aptos. As parcelas seriam em agosto e dezembro de 2015; abril, agosto e dezembro de 2016 e abril de 2017. Na reunião desta quarta-feira (19), o governo apresentará o cronograma para todas as fases, além de mais detalhes sobre o pagamento da remuneração de acordo com o posto e graduação para os promovidos antes da atual gestão.

“As três demandas estão previstas em lei, ou seja, queremos apenas que as legislações sejam cumpridas para termos tratamento igualitário em relação às demais instituições do sistema de segurança pública do Estado”, ressalta Eliabe Marques, presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do Rio Grande do Norte (ASSPMBM/RN).

UM ESTADO EM GREVE – Paralisados há mais de dois meses, servidores da saúde discutem cortes nas gratificações hoje na Assembleia Legislativa

Acontece logo mais, na Assembleia Legislativa do RN, uma audiência pública para discutir os cortes nas gratificações dos aposentados do Estado. A audiência foi fruto da cobrança dos sindicatos aos Deputados em reunião na última quinta-feira (13). Além da presença dos sindicatos das categorias que foram afetadas, foram convidados também o TCE, governo do estado e Ipern.

Foto DivulgaçãoPor consequência dos tais cortes, ainda na manhã de ontem (17) os servidores da saúde estadual realizaram um ato público unificado com outros sindicatos, como o Sinmed (Sindicato dos Médicos), o Soern (Sindicato dos Odontólogos), o Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis e servidores do Itep), o Sinfarm (Sindicato dos Farmacêuticos) e o Seeb (Sindicato dos Bancários), em frente ao Hospital Walfredo Gurgel.

A manifestação saiu em passeata pela Avenida Salgado Filho durante uma hora e meia. Os servidores protestaram contra a retirada dos adicionais de insalubridade e noturno na aposentadoria dos servidores da saúde. O sindicato dos médicos aprovou a paralisação de 24h, nesta segunda (17).

O Sindsaúde que já está em greve há mais de 60 dias, exige ainda o atendimento às reivindicações da greve, como o reajuste salarial e isonomia.

O Ipern deixou de pagar o adicional de insalubridade e o adicional noturno para os servidores da saúde que se aposentaram desde dezembro, medida que atribui a decisões do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que considera as gratificações de natureza temporária. A retirada vem sendo feita desde que a Assembleia Legislativa revisou a Constituição Estadual, retirando a legislação que garantia o pagamento das gratificações.

(Com informações do Sindsaúde)

Policiais rodoviários federais aprovam estado de greve

Foto Assessoria SINPRF_RNOs policiais rodoviários federais decidiram na tarde desta segunda-feira (17), em assembleia, aprovar o estado de greve para a categoria, ou seja, que irão paralisar as atividades caso não avancem as negociações que em andamento com o Governo Federal.

O presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais do Rio Grande do Norte (SINPRF/RN), inspetor Sanderson de Farias, explicou que a categoria não quer a greve, mas que com a aprovação desta segunda, os policiais poderão iniciar o movimento caso se frustrem as negociações quanto a pauta de valorização dos policiais.

“O que decidimos hoje foi a aprovação do Estado de greve. Vamos aguardar o andamento das negociações com o Governo Federal até esta sexta. Caso o governo não cumpra o que têm prometido, já temos o aval da categoria para iniciar uma greve”, detalhou.

O Rio Grande do Norte conta com o efetivo de aproximadamente 300 policiais rodoviários federais na ativa responsáveis pelo patrulhamento ostensivo e segurança no trânsito em mais de 1,6 mil quilômetros de vias federais.

SEM ACORDO – Militares mantêm acampamento após reunião com governador Robinson Faria

Acampamento__ Reunião_Acampados há 13 dias em frente à sede da Governadoria, os representantes das associações de praças foram recebidos no final da tarde de hoje (17) pela cúpula da Segurança Pública e pelo próprio governador do Estado, Robinson Faria. No entanto, as respostas apresentadas não foram satisfatórias para categoria, que sem acordo sobre as demandas permanecem com o acampamento até a próxima quarta-feira, dia 19, quando está prevista nova reunião com o governo.

Constam na pauta de reivindicações dos policiais e bombeiros militares o cumprimento do devido enquadramento dos níveis remuneratórios, ponto que foi sinalizado como negativo pelo governo; remuneração de acordo com o posto de graduação, que segundo a proposta apresentada hoje seria paga aos recém-promovidos agora e para os militares que foram promovidos entre os anos de 2012 e 2014, somente no mês de outubro.

Já a promoção ex officio – concedida quando o graduado permanece por tempo dobrado em um mesmo nível por causa da ausência de vagas, seria concedida aos militares aptos em um cronograma de 6 parcelas. Sendo elas em agosto e dezembro de 2015; abril, agosto e dezembro de 2016 e abril de 2017.  Porém, neste quesito não foi apresentado nenhum tipo de cronograma contendo o número de promoções que aconteceriam a cada mês.

Diante do clima de insatisfação geral na categoria, com profissionais promovidos há mais de dois anos recebendo salários das graduações anteriores, além de outros há mais de 10 anos sem ascender profissionalmente, os militares deliberaram por manter as mobilizações.

“Vamos intensificar o acampamento com policiais de folga, caso não sejam atendidas as demandas nesta quarta-feira passaremos a contar com os militares de serviço“, disse o Sargento Eliabe, presidente da Associação de Subtenente e Sargento (ASSPMBM/RN) aos militares mobilizados.

Na quarta-feira, os militares se reúnem a partir das 8 horas da manhã no Clube Tiradentes, no Alecrim, para seguir em carreata até o Centro Administrativo e acompanhar a reunião prevista para acontecer às 11h. Em seguida, a categoria realiza assembleia para definir os rumos do movimento.

Acampados há 12 dias, militares do RN se reúnem hoje (17) com o Governo para discutir reivindicações da categoria

AcampamentoNesta segunda-feira (17), representantes dos policiais e bombeiros militares participam de reunião com o governo do Estado para receber as propostas de atendimento às reivindicações da categoria. O encontro acontecerá às 17h na Governadoria, onde os profissionais da segurança pública estão acampados desde 5 de agosto para cobrar o cumprimento do devido enquadramento dos níveis remuneratórios, da remuneração de acordo com o posto de graduação e da promoção ex officio – concedida quando o graduado permanece por tempo dobrado em um mesmo nível por causa da ausência de vagas.

Caso o resultado desta reunião de hoje seja negativo, a partir desta terça-feira (18) os militares a serviço cumprirão expediente no local.

Não pedimos aumento de salários ou mudança de leis, queremos apenas que o governador cumpra as legislações em vigor. Esperamos que nesta terça-feira os nossos pedidos sejam atendidos para, dessa forma, encerrarmos o acampamento”, declara Eliabe Marques, presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do Rio Grande do Norte (ASSPMBM/RN).

 

Policiais Rodoviários Federais discutem possibilidade de greve em Assembleia na próxima segunda (17)

Sanderson de Farias - Presidente SINPRFRN

Sanderson de Farias – Presidente SINPRFRN

Os policiais rodoviários federais realizam na próxima segunda-feira (17) uma assembleia para discutir a possibilidade de iniciar um estado de greve devido a falta de negociação com o Governo Federal quanto à valorização da carreira e ao reajuste salarial da categoria. A Assembleia será realizada no auditório do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) a partir das 14h30.

O presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais do Rio Grande do Norte (SINPRF/RN), inspetor Sanderson de Farias, explicou que mesmo com o indicativo de greve já aprovado há várias semanas, se a categoria aprovar a greve, não haverá paralisação de imediato.

“Como existe uma negociação em andamento, vamos deliberar sobre o estado de greve, quer dizer, vamos aguardar os próximos passos do Governo até a próxima sexta e, se nada for definido, é que vamos ter que recorrer à greve. A categoria não quer a greve. Quer negociar, mas se nada for feito, será nossa única medida“, detalhou.

O Rio Grande do Norte conta com o efetivo de aproximadamente 200 policiais rodoviários federais na ativa responsáveis pelo patrulhamento ostensivo e segurança no trânsito em mais de 1,6 mil quilômetros de vias federais.

Governo e militares se reúnem na segunda-feira (17) para discutir reivindicações da categoria

Na próxima segunda-feira (17), representantes dos policiais e bombeiros militares participam de reunião com o governo do Estado para receber as propostas de atendimento às reivindicações da categoria. O encontro acontecerá às 17h na Governadoria, onde os profissionais da segurança pública estão acampados desde 5 de agosto para cobrar o cumprimento do devido enquadramento dos níveis remuneratórios, da remuneração de acordo com o posto de graduação e da promoção ex officio – concedida quando o graduado permanece por tempo dobrado em um mesmo nível por causa da ausência de vagas.

Até o dia 17, estarão acampados os profissionais de folga, à paisana e desarmados, mas caso o retorno do governo seja negativo, a partir de terça-feira (18) os militares a serviço cumprirão expediente no local.

O presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do Rio Grande do Norte (ASSPMBM/RN), Eliabe Marques, expõe que o descumprimento das leis promove um clima de insatisfação geral na categoria. Isso porque existem profissionais promovidos há mais de dois anos recebendo salários das graduações anteriores, além de outros há mais de 10 anos sem ascender profissionalmente.

“Não pedimos aumento de salários ou mudança de leis, queremos apenas que o governador cumpra as legislações em vigor. Esperamos que no dia 17 os nossos pedidos sejam atendidos para, dessa forma, encerrarmos o acampamento”, declara o sargento.

Acampados há uma semana, policiais e bombeiros aguardam atendimento às reivindicações feitas ao governo do Estado

Acampamento_Há uma semana acampados em frente à Governadoria, os policiais e bombeiros militares estaduais continuam à espera do atendimento às suas reivindicações que consistem no cumprimento do devido enquadramento dos níveis remuneratórios, da remuneração de acordo com o posto de graduação e da promoção ex officio – concedida quando o graduado permanece por tempo dobrado em um mesmo nível por causa da ausência de vagas. Todas essas demandas são previstas em lei, mas ainda não foram cumpridas porque o governo alega falta de recursos financeiros. O chefe do Executivo, Robinson Faria, prometeu apresentar uma resposta concreta à categoria na próxima segunda-feira (17).

O acampamento segue até essa data com os profissionais de folga, à paisana e desarmados, mas caso o retorno do governo seja negativo, a partir de terça-feira (18) os militares a serviço cumprirão expediente no local. Os comandos da polícia e dos bombeiros já entregaram à Secretaria de Finanças o levantamento dos praças que têm direito aos benefícios para auxiliar o Poder Executivo na análise do impacto aos cofres públicos. Nesta quinta-feira, 13, eles se reunirão com o corregedor-geral do Estado, Eduardo Nobre, para tratar da promoção ex officio.

O, expõe que o descumprimento das leis promove um clima de insatisfação geral na categoria. Isso porque existem profissionais promovidos há mais de dois anos recebendo salários das graduações anteriores, além de outros há mais de 10 anos sem ascender profissionalmente.

Não pedimos aumento de salários ou mudança de leis, queremos apenas que o governador cumpra as legislações em vigor. Esperamos que no dia 17 os nossos pedidos sejam atendidos para, dessa forma, encerrarmos o acampamento”, declara Eliabe Marques, presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do Rio Grande do Norte (ASSPMBM/RN).

Policiais e bombeiros militares iniciam acampamento na Governadoria: “É inaceitável que o governo descumpra as leis e nada seja feito”

Governo marcou reunião para o dia 17, quando apresentará soluções concretas. Caso o retorno seja negativo, os militares cumprirão expediente no acampamento a partir do dia 18

 

Foto AssessoriaOs policiais e bombeiros militares estaduais iniciaram na manhã desta quarta-feira, 05, o acampamento em frente à Governadoria para reivindicar o devido enquadramento dos níveis remuneratórios, a remuneração de acordo com o posto de graduação e a promoção ex officio – concedida quando o graduado permanece por tempo dobrado em um mesmo nível por causa da ausência de vagas. Na tarde da última terça-feira, 04, a secretária de Segurança Kalina Leite e a chefe do Gabinete Civil, Tatiana Mendes Cunha, receberam a pauta de reivindicações da categoria e marcaram nova reunião para o dia 17, quando terão uma resposta concreta do Poder Executivo.

O acampamento segue até essa data com os profissionais de folga, à paisana e desarmados, mas caso o retorno do governo seja negativo, a partir do dia 18 os policiais e bombeiros a serviço cumprirão expediente no local.

Não pedimos aumento de salários ou mudança de leis, queremos apenas que o governador cumpra as legislações em vigor. Afinal, os policiais e bombeiros militares são rigorosamente sancionados ao ferir os princípios legais, por isso seguem as regras à risca. É inaceitável que o Poder Executivo descumpra as leis e nada seja feito”, expõe o sargento.

Com um governo descumpridor de Leis, policiais e bombeiros militares montam acampamento na Governadoria nesta quarta-feira (5)

Nesta quarta-feira (05), os policiais e bombeiros militares estaduais retomam acampamento em frente à Governadoria, a partir das 8h, como forma de reivindicar o devido enquadramento dos níveis remuneratórios, a remuneração de acordo com o posto de graduação e a promoção ex officio – concedida quando o graduado permanece por tempo dobrado em um mesmo nível por causa da ausência de vagas. Essas três demandas são previstas em lei, mas ainda não foram colocadas em prática pelo governo, que alega falta de condições financeiras. De início estarão acampados os profissionais de folga, à paisana e desarmados, mas os policiais e bombeiros a serviço cumprirão expediente no local a partir do dia 15 caso a gestão estadual não tome alguma ação concreta até esse prazo.

AcampamentoO presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do Rio Grande do Norte (ASSPMBM/RN), Eliabe Marques, expõe que o descumprimento da remuneração de acordo com a graduação é uma afronta grave ao princípio da hierarquia – um dos pilares fundamentais da instituição militar. Isso porque existem cabos e 3º sargentos há mais de dois anos recebendo salários de soldados, e o problema se estende às outras graduações. Já a promoção ex officio é a solução para os entraves nas carreiras dos militares, mas a sua ausência faz com que alguns estejam há mais de 10 anos sem ascender profissionalmente.

Esses dois benefícios foram conquistados com a Lei de Promoção de Praças, elaborada em comum acordo com o Poder Executivo, que negociou os pontos do texto para assegurar o cumprimento de todos eles. “Os profissionais da segurança pública estavam otimistas e depositaram toda a confiança nessa lei, ainda não cumprida pelo Estado apesar de termos cedido ao máximo para conseguir a sua aprovação”, ressalta Eliabe. Diante da insatisfação geral com o não atendimento às demandas, a categoria iniciou suas mobilizações no dia 30 de julho, quando realizou carreata até a Governadoria após Assembleia Geral onde os militares deliberaram pela retomada do acampamento.

“O governo conhece nossas reivindicações desde o dia 05 de fevereiro deste ano, porém, nada foi realizado de lá para cá. Durante este período nós enviamos ofícios, participamos de reuniões, mas nada de concreto foi feito. Por isso retomaremos a mobilização para conquistar os nossos direitos. Não estamos pedindo nada demais, apenas que a lei seja cumprida”, finaliza o presidente da ASSPMBM/RN.

Chefe da Casa Civil de Natal, Jonny Costa recebe sindicatos para negociar fim da greve

Foto Aléx RégisO secretário de Governo da Prefeitura do Natal, Jonny Costa, recebeu no final da manhã desta quarta-feira (29), no salão nobre do Palácio Felipe Camarão, as diretorias do Sindicato dos Servidores Públicos de Natal (Sinsenat) e do Sindicato dos Agentes de Endemias (Sindas) para discutir as propostas de reajustes salariais das categorias. Os vereadores Raniere Barbosa e Júlio Protásio também participaram do encontro.

Na oportunidade, Jonny Costa reiterou o compromisso da gestão municipal de seguir dialogando com os servidores em busca de encontrar um melhor desfecho para a situação e para acabar com a greve que vem prejudicando o andamento de diversos serviços da administração. O secretário pediu ainda sensibilidade aos sindicalistas para entenderem a situação financeira atual do município, visto que a arrecadação das receitas vem caindo mensalmente e não acompanha o crescimento das despesas.

Jonny Costa recebeu uma nova pauta de reivindicações dos sindicatos e se comprometeu a passá-las para a equipe econômica da administração, que irá analisar a viabilidade da implementação de cada uma delas, sem perder de vista o impacto nas finanças do Município.

Um novo encontro foi marcado para a próxima quarta-feira (06), quando a administração apresentará a sua contraproposta. “O importante é que existe o diálogo e a vontade de todos os entes envolvidos para encerrar esse processo”, destacou o secretário.

 

Vigilantes rejeitam proposta de reajuste salarial apresentada pelo TRT/RN e acatada pelo Sindesp

A intransigência dos vigilantes patrimoniais do Rio Grande do Norte não permitiu que a categoria chegasse a um acordo com os empresários da segurança privada durante a reunião realizada nesta quinta-feira (12), no Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região. Os vigilantes rejeitaram a proposta de reajuste salarial de 12% sobre o salário médio no Nordeste, apresentada pela desembargadora Auxiliadora Rodrigues e acatada pelo Sindicato das Empresas de Segurança Privada (Sindesp).

Diante desse cenário, o TRT-21 decidirá qual será o reajuste da categoria por meio de Processo de Dissídio Coletivo. Até que haja um acordo entre os sindicatos, ou haja o julgamento do dissídio pelo Tribunal, os salários dos vigilantes permanecerão congelados.

O Sindicato que representa os vigilantes patrimoniais do estado (Sindsegur) insiste em um reajuste de 12% sobre o salário base do Rio Grande do Norte, além de acréscimo de vale alimentação no valor de R$ 15,00/dia. A categoria argumenta que o estado é um dos únicos do Nordeste onde não há o benefício do vale.

Em contra partida, os empresários afirmam que o salário do vigilante do Rio Grande do Norte é o maior do Nordeste mesmo sem o benefício do vale. Além disso, pontuam que o contexto atual é de retração e os últimos reajustes implantados resultaram em encerramento de contratos e perda de empregos para categoria, nominando de irresponsável a proposta do sindicato dos vigilantes.

Servidores do Estado realizam assembleia hoje (10): “Robinson disse que o aumento não causaria impacto. Se ele não resolver de forma consensual poderemos decidir pela greve”

...............Os servidores da administração direta do Estado se reúnem em assembleia na tarde desta terça-feira (10) para iniciar as discussões em torno dos avanços salariais para o ano de 2015.

De acordo com a presidente do Sindicato dos Servidores da Administração Direta (Sinsp), Janeayre Souto, a categoria vai utilizar as palavras do próprio governador Robinson Faria que disse que “o aumento não causaria impacto” como argumento e que o movimento pode deflagrar greves.

O reajuste é necessário para suprir a inflação e outros aumentos que consomem o salário do trabalhador. O próprio Robinson disse semana passada na imprensa que o aumento não causaria impacto. Quer dizer, temos um caminho bom para negociar. Agora, se o governador não resolver de forma consensual com a categoria, os servidores podem decidir tornar o movimento mais forte com paralisações e greves“, disse.

A Assembleia será às 14h, no auditório do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol), na Cidade Alta.

Greve dos servidores da Semut é suspensa após negociação viabilizada pelo vereador Júlio Protásio

Foto Assessoria SINSENATApós a intermediação do vereador Júlio Protásio (PSB), feita entre a presidente do Sindicato dos Servidores públicos de Natal (Sinsenat), Soraya Godeiro, e a titular da secretaria municipal de Tributação, Aila Cortez, a greve dos servidores da Semut foi suspensa. A reunião aconteceu na manhã desta quarta-feira (17), na Câmara municipal.

Os servidores buscam desde 2004 a implantação do plano de cargos, carreiras e salários dos técnicos tributários; e encontravam obstáculos para discutir as propostas com o Executivo. Após reuniões e a audiência pública proposta por Júlio Protásio, na Câmara municipal, a secretária Aila Cortez iniciou a negociação com a categoria.

O encontro foi uma proposta do líder do governo que viu à necessidade de abrir um dialogo entre os servidores e a secretária, com a finalidade de que os servidores conquistem a implantação do plano de carreiras da categoria. “Há 10 anos a categoria luta pela construção de sua carreira. Nossa intenção foi restabelecer a discussão com ambas as partes envolvidas. A reunião foi proveitosa e conseguimos que até a próxima semana, o Sinsenat e a Semut se reúnam com a Procuradoria Geral do Município“, declarou Júlio.

Procon Natal notifica bancos para garantir manutenção dos serviços durante greve; consumidores prejudicados pela má prestação do serviço dever abrir reclamação no Instituto

Na última terça-feira (30) foi deflagrada a greve dos bancários em todo Brasil, e apesar do direito de greve ser lícito, previsto em lei, a reivindicação ser legítima, a descontinuidade e a má prestação de serviço violam os preceitos permeados pelo Código de Defesa do Consumidor e Constituição Federal defendidos pelo Procon Natal.

DivulgaçãoA falta de cédulas nos caixas eletrônicos, envelopes para depósitos e papel para emissão de comprovantes de transações bancárias, foram algumas das exigências contidas na notificação que o Procon Natal encaminhou na manhã desta terça-feira (30) a sete bancos da cidade.

Na greve dos bancários realizada no ano passado o Procon Natal autuou diversos bancos, gerando sete autos de infração motivando multas de até R$ 200.000,00 (duzentos mil reais). Caso a má prestação se repita, os bancos poderão novamente sofrer sanções pecuniárias.

Além das multas provocadas pela má prestação dos serviços bancários em períodos de greve, no ultimo ano já foram lavrados pelo Procon Natal dez autos de infração em virtude do descumprimento da Lei Municipal de Filas 5.671/2005, com multas aplicadas com o valor de pelo menos 10 salários mínimo cada.

O Procon Natal expediu oficio na quarta-feira (1º) para o Promotoria do Consumidor a fim de garantir apoio e também oficializou o Ministério Público do Trabalho para tomar as devidas medidas cabíveis e apurar excessos, visto que o MPT possui a prerrogativa de resguardar os direitos e obrigações trabalhistas.

O Procon Natal sugere que os consumidores procurem canais alternativos como caixas eletrônicos, casas lotéricas, banco postal e correspondentes bancários, vez que esses serviços permanecem funcionando normalmente. Para o atendimento não presencial, os consumidores podem usar internet banking e os serviços móveis bancários por celular.

Aos consumidores que se sentirem prejudicados, o Procon Natal orienta que se dirijam ao instituto para abrir uma reclamação. Todos os casos serão apurados e caso comprovada a irregularidade o Procon tomará as medidas cabíveis. Desde esta quinta-feira (2) a equipe de fiscalização está nos principais pontos da cidade para assegurar os direitos dos cidadãos.

Em decisão liminar, justiça decide pelo fim da greve do SINDGUARDAS e proíbe paralisações do SINMED e SINDAS durante a COPA

Ajuizada pela Prefeitura de Natal com o objetivo de obter a declaração de ilegalidade de movimentos grevistas deflagrados, ou na iminência de serem iniciados por categorias de servidores municipais durante o período de realização da Copa do Mundo FIFA 2014, a Ação Cível Originária N° 2014.010844-0 foi julgada parcialmente procedente pelo desembargador Saraiva Sobrinho, relator do processo, nesta segunda-feira (9).

Em sua decisão liminar, o magistrado de Segundo Grau determina o retorno imediato dos servidores do SINDGUARDAS, bem como está proibida a deflagração de greve pelos demais servidores do SINMED e SINDAS, durante e de forma restrita ao período da Copa como pleiteado, sob pena de multa diária no valor de R$ 20 mil a cada um dos Sindicatos, e de R$ 2 mil aos presidentes dessas entidades, individualmente.

Em caso de descumprimento, fica determinado desde logo, o bloqueio das contas bancárias desses três sindicatos. Essas entidades poderão contestar a ação dentro do prazo legal. Em seu pronunciamento judicial, o relator excluiu do polo passivo da disputa jurídica, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SINSENAT), Sindicato dos Servidores da Saúde (SINDSAÚDE), Sindicato dos Odontologistas (SOERN) e Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública (SINTE), baseado no artigo 267, VI, do Código de Processo Civil (CPC), ou seja pela falta de interesse processual nesta ação.

Para o relator do processo no TJRN, é razoável concluir, em princípio, pela aparente abusividade do movimento iniciado na área da segurança municipal, pelo SINDGUARDAS, e os que poderão eclodir na Saúde (SINMED e SINDAS), no período da Copa do Mundo, respaldando a concessão da medida pleiteada pelo Município, no entanto de forma parcial. O desembargador Saraiva Sobrinho também leva em consideração a premente necessidade de continuidade e manutenção das atividades essenciais à população enquanto perdurar o período de realização das partidas do Campeonato Mundial de Futebol da FIFA.

(TJRN)

Greve da educação de Natal é suspensa após acordo firmado entre Município e Sinte em audiência de conciliação

Após audiência de conciliação realizada na tarde de ontem (19), no Tribunal de Justiça do RN, o Município de Natal e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte/RN) assinaram acordo definindo suspensão por até 90 dias da grave dos educadores. A audiência foi presidida pelo juiz convocado José Herval Sampaio Júnior, que está substituindo o desembargador Amaury Moura Sobrinho.

Depois de muita negociação, foi firmada a suspensão do processo, pelo prazo de até 90 dias, período no qual deverão ser realizadas, no mínimo, 12 reuniões com o objetivo de alcançar um texto final sobre a lei de unificação das carreiras dos educadores da rede municipal de Natal.

Ao final do prazo, caso não estabelecida um acordo definitivo sobre a questão, haverá um prazo de cinco dias para apresentação de manifestação em conjunto ou isolada, o processo terá seu curso com a homologação do acordo ou a apreciação da medida liminar. O acordo ainda dispôs da convenção de um calendário de reposição das aulas que deverá ser elaborado pelos conselhos escolares e encaminhados à Secretaria Municipal de Educação no prazo de 15 dias.

Estiveram presentes na audiência a promotora de Justiça Zenilde Ferreira de Farias, da 61ª Promotoria de Justiça da Comarca de Natal; o procurador do Município, Fernando Gaburri; a secretária de Educação, Justina Iva; além da coordenadora do Sinte/RN, Fátima Cardoso, acompanhada da advogada Sylvia Virgínia de Macedo. Militantes do sindicato também acompanharam a audiência que teve quase quatro horas de duração.

(TJRN)

Representantes da prefeitura do Natal e Sinte/RN terão audiência de conciliação na segunda-feira (19)

O juiz convocado José Herval Sampaio Júnior, que está substituindo o desembargador Amaury Moura Sobrinho, reunirá os representantes do Município de Natal e do SINTE/RN) em seu gabinete, às 15h da próxima segunda-feira (19), para tentar avançar em alguns pontos na negociação e por fim à greve que já dura mais de 30 dias.

Na Ação Cível Originária nº 2014.007843-9, o Município de Natal requer que seja declarada a ilegalidade e abusividade da greve deflagrada pelo Sindicato, determinando a paralisação do movimento e retorno imediato dos servidores públicos às suas atividades profissionais, sob pena de multa diária de R$ 50 mil, sem prejuízo das sanções penais e administrativas que os servidores venham a incorrer.

De acordo com o magistrado, a tentativa de conciliação foi bem aceita por ambas as partes mas, caso não se chegue a um acordo nesta audiência, o juiz decidirá o pleito judicial naquele mesmo dia, ou seja, na própria segunda-feira.

(Com informações do TJRN)

Policiais Militares e bombeiros decidem pela paralisação da greve com o compromisso de que mesa de negociação com o Governo do Estado permaneça aberta

Reunião da segurança - Foto Elisa ElsieRepresentantes da cúpula da segurança pública do Governo do Estado e associações de policiais militares e corpo de bombeiros chegaram a um acordo depois de reunião realizada na manhã desta terça-feira (22), na sede da Procuradoria Geral do Estado.

O encontro contou com a presença do Secretário Estadual de Segurança Pública e Defesa Social, o General Elieser Girão, do Procurador Geral do Estado, Miguel Josino, do Controlador Geral, Anselmo de Carvalho, dos Comandantes Gerais da Policia Militar e do Corpo de Bombeiros, Cel. Francisco Araújo e Cel. Elizeu Lisboa Dantas.

Também estavam presentes sete representantes dos policiais militares, entre eles o Presidente da Associação dos Oficiais, Jorge Moreira, o Presidente da Associação dos Sargentos e Subtenentes, Eliabe Marques e o Presidente da Associação dos Bombeiros, Rodrigo Maribondo.

Durante a reunião o titular da Sesed detalhou os encaminhamentos dados pelo Governo do Estado a nove dos onze pontos de reivindicação apresentados pelos policiais. Com relação à Lei de Promoção de Praças, ficou acertado que o Governo do Estado vai encaminhar o projeto para Assembleia Legislativa até o dia 1° de maio.

Em resposta, os policiais aceitaram encerrar a paralisação e por fim ao acampamento montado em frente à Governadoria do Estado.

Com relação aos demais pontos da pauta, os dois lados concordaram em manter abertas as negociações. Novas rodadas de conversas entre Governo e policiais serão realizadas nos próximos dias.

De volta ao Centro Administrativo, os policiais e bombeiros fizeram uma assembleia e resolveram encerrar a paralisação e desmontar o acampamento por volta das 17h.

INSEGURANÇA PUBLICA – Policiais Militares do RN entram em greve por tempo indeterminado

Policial de braços cruzadosBraços cruzados e acampamento de 23 barracas montado na porta da Governadoria há 15 dias. Este é o cenário caótico da segurança pública do Rio Grande do Norte.

A paralisação da categoria, que se iniciou a partir das 7h desta terça-feira (22), é fruto de uma decisão tomada desde a semana passada. Contudo, uma reunião entre representantes da PM e Governo está agendada para acontecer ainda na manhã de hoje, podendo culminar até com o fim da paralisação.

Uma assembleia dos policiais e bombeiros já está marcada para às 10h, quando a comissão da categoria apresentará um balanço das negociações. Neste momento, será decidida a manutenção ou suspensão da greve.

Com a paralisação, o atendimento a ocorrências e o patrulhamento ostensivo se dará em caráter limitado.

Greve na rede pública estadual de educação é suspensa

Imagem SINTE_RNEm assembleia realizada na manhã da última sexta-feira (21) ficou decidido pela suspensão da greve na educação do Estado. Para a coordenadora geral do Sinte/RN, Fátima Cardoso, pelo nível de truculência do governo Rosalba, as conquistas alcançadas representam uma das vitórias mais expressivas da história de luta dos trabalhadores em educação do Estado.

Em vez dos tradicionais acordos feitos e descumpridos pelo govern, a categoria sai com direitos devidamente aprovados pela Assembleia Legislativa.

Para o Sinte/RN o mais importante deles é a manutenção do nível na carreira (letra) para quem avança na aquisição de títulos acadêmicos como mestrado e doutorado.

Além da manutenção da Letra, a greve conquistou a regulamentação do porte das escolas, o pagamento do reajuste do Piso nacional de 8,32% e o avanço em um nível na carreira (promoção de uma Letra).

Alunos e professores retornam hoje às salas de aula.

 

Fátima Bezerra: “Apelo à governadora que receba a direção do sindicato, assuma o compromisso e respeite os acordos celebrados no ano passado”

A deputada federal Fátima Bezerra (PT-RN) fez, nesta terça-feira (4), na tribuna da Câmara, um apelo ao Governo do Rio Grande do Norte para que abra o diálogo com os professores da rede estadual que, mais uma vez, de forma legitima, suspenderam suas atividades, diante do descumprimento do acordo celebrado entre o SINTE/RN e a Secretaria de Educação do Estado, no ano passado.

“Greve e conflito se resolvem através do diálogo e não com ameaças e omissões. Portanto, renovo, mais uma vez, meu apelo para que a governadora receba a direção do sindicato, assuma o compromisso e respeite os acordos celebrados no ano passado. Acordos esses que darão benefícios para milhares de trabalhadores em educação do RN”, disse Fátima.