Blog editado a partir de Natal/RN - Brasil.

Publicidade
Instagram
Twitter
Publicidade
Buscar
Calendário
novembro 2018
S T Q Q S S D
« jul    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  
Publicidade
Publicidade
Publicidade Vídeo

Uma homenagem da Prefeitura de Natal para os Professores

Posts da ‘REPERCUTINDO’

Henrique é inocentado pelo STJ de processo usado contra ele por Robinson Faria na campanha eleitoral

Foto Rayane MainaraDeu na TRIBUNA DO NORTE.

 

USO POLÍTICO, REPARAÇÃO TARDIA.

O Superior Tribunal de Justiça emitiu certidão do trânsito em julgado sobre o Recurso Especial número 1413013, que inocentou o senador Garibaldi Alves Filho e o ex-deputado federal Henrique Eduardo Alves. Ou seja, é o final do processo no Judiciário e com a absolvição dos acusados. O processo era referente ao suposto uso da Secretaria de Governo para promover uma candidatura, que nem mesmo chegou a ser lançada.

Um processo absurdo, sem nenhuma fundamentação legal, que foi preciso depois de tanto tempo e irresponsáveis explorações políticas, ser arquivado por unanimidade pelo STJ”, destacou o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves.

Ele lamentou que a reparação chega tardia. “Reparação tardia, mas que chega pela consciência jurídica do país. Fico feliz pela justa reparação que sempre confiei”, comentou.

A decisão do STJ confirma o entendimento, a unanimidade, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte.

O processo no qual o senador e o ex-presidente da Câmara dos Deputados figuravam como acusados ganhou destaque na recente campanha eleitoral, do ano passado, onde o então candidato ao Governo Robinson Faria tentava usar o fato do processo, embora com decisões favoráveis aos dois líderes do PMDB, ainda não havia transitado em julgado. Fato que agora se confirma.

Ainda na campanha eleitoral do ano passado a coligação de Robinson Faria usou reiteradamente os fatos. E a campanha do então candidato Henrique Alves manteve o esclarecimento de que o processo, em todas as instâncias pelas quais já havia tramitado, teve absolvição inclusive com a decisão unânime da Corte do Judiciário Estadual potiguar. O fato agora culmina com o trânsito em julgado e a absolvição dos líderes peemedebistas.

CONVERSANDO COM VOCÊ – Deputado George Soares cumpre agenda em São Gonçalo e é entrevistado pelo ex-deputado Magnus Kelly

Foto blog Marcos DantasDeu no blog de Marcos Dantas.

 

Neste sábado (21), o deputado estadual George Soares (PR) realizou uma série de visitas na cidade que mais cresce na região metropolitana do RN, São Gonçalo do Amarante, onde conta com o apoio do prefeito Jaime Calado (PR).

Eles cumpriram agenda juntos e ao meio-dia, George Soares participou do programa “Conversando com Você” apresentado pelo próprio Jaime e pelo ex-deputado Magnus Kelly, na rádio 87,9 FM. O parlamentar republicano falou dos seus planos e ações direcionadas a cidade na qual se sagrou o deputado estadual mais votado nas últimas eleições estaduais. Recentemente, George destinou emenda de 300 mil reais para a pavimentação e drenagem das ruas da cidade.

Henrique Alves como Ministro é exigência prioritária de Eduardo Cunha

Deu em Cláudio Humberto, em seu DIÁRIO DO PODER.

 

Após ser eleito presidente da Câmara, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) deve fazer sua primeira exigência ao enfraquecido governo Dilma: nomear o amigo e antecessor Henrique Alves para qualquer ministério, de preferência o do Turismo. Mas, neste caso, poderia provocar uma crise com Renan Calheiros, reeleito no mesmo domingo presidente do Senado e padrinho do atual ministro, Vinicius Lages.

Farsa tucana da fartura de água em Minas Gerais vem à tona somente após derrota de Aécio

Imagem Blog do PaulinhoDeu em Cláudio Humberto, em seu DIÁRIO DO PODER.

Levantamento da Copasa, estatal de águas de Minas Gerais, mostra que os governos tucanos de Aécio Neves e Antonio Anastasia não apenas esconderam o iminente colapso no fornecimento d’água como, para fingir que tudo ia bem, aumentaram a captação dos reservatórios que abastecem a região metropolitana de Belo Horizonte, no período eleitoral de agosto a outubro, apesar da queda contínua do nível dos reservatórios. Passadas as eleições, a captação voltou a cair.

Leviandade

O período de fingimento de água abundante em Minas coincide com o final do primeiro turno e com o segundo turno da eleição.

Aécio chama eleitores de Dilma de “organização criminosa” e poderá responder na justiça pela declaração

Do PORTAL BRASIL 247.

 

Militantes do PT organizam ação coletiva contra o candidato derrotado na disputa à presidência, que declarou ter pedido a eleição para uma “organização criminosa”; um dos apoiadores é o ator José de Abreu: “E aí, galera, vocês ja arrumaram advogado para processar Aecio? Nao aceito a pecha de ‘organização criminosa’ no meu currículo!”; quem organiza a ação é Kallil Oliveira, de Vitória da Conquista (BA): “Em menos de 1 hora já são mais de 200 pessoas que se disponibilizaram pra entrar com 1 ação contra Aécio por danos morais devido sua declaração”, anunciou o eleitor de Dilma; ontem, o presidente do PT, Rui Falcão, disse que o partido irá interpelar Aécio Neves por sua declaração.

 Imagem Portal BRASIL 247

Eleitores da presidente Dilma Rousseff que se sentiram ofendidos com a declaração do senador e candidato derrotado Aécio Neves (PSDB-MG), de que perdeu a disputa ao Planalto para uma “organização criminosa“, organizam uma ação coletiva contra o tucano.

Sou petista, vou processar Aécio Neves por dizer que faço parte de uma organização criminosa”, escreveu em sua página no Twitter o usuário William Carvalho. Um dos apoiadores da ação é o ator José de Abreu: “E aí, galera, vocês ja arrumaram advogado para processar Aecio? Nao aceito a pecha de “organização criminosa” no meu currículo!”.

Quem organiza a ação coletiva, recrutando eleitores nas redes sociais, é Kallil Oliveira, de Vitória da Conquista (BA). “Quem votou na Dilma pode entrar com ação criminal contra Aécio Neves e cobrar uma indenização por danos morais $$$$”, postou o estudante de Geografia nesta terça-feira 2.

“Já consegui reunir 30 pessoas que vão processar Aécio por sua infeliz declaração, quem tiver interesse me informe para nos organizarmos“, publicou Kallil, às 11h52, no Twitter. Às 13h40, uma atualização: “Em menos de 1 hora já são mais d 200 pessoas q se disponibilizaram pra entrar com 1 ação contra Aécio por danos morais devido sua declaração“.

Em sua coluna desta terça-feira 2 na Folha de S. Paulo (leia aqui), o jornalista Janio de Freitas chamou a acusação de Aécio de “tão gratuitamente agressiva e tão agressivamente insultuosa” e declarou que qualquer dos eleitores do PT está “agora habilitado, desde que capaz de alguma prova de sua adesão a Dilma, a mover uma ação criminal contra Aécio Neves por difamação, calúnia e injúria, e cobrar-lhe uma indenização por danos morais“.

Leia um trecho de seu artigo:

 

É difícil admitir que Aécio Neves esteja consciente do papel que está exercendo. A situação social do Brasil não é de permitir que acirramentos, incitações e disseminação de ódios levem apenas a efeitos inócuos, de mera propaganda política. Para percebê-lo, não é preciso mais do que notar a violência dos protestos com incêndios ou a quantidade de armas apreendidas.Se Aécio acha, como diz, que está sendo “porta-voz de um sentimento de indignação”, pior ainda: fica evidente que não sabe mesmo o que está fazendo, e aonde isso o leva.

 

A declaração do senador foi feita em entrevista ao jornalista Roberto D´Ávila, da Globonews, veiculada na noite do último sábado 29. O tucano disse: “Na verdade, eu não perdi a eleição para um partido político. Eu perdi a eleição para uma organização criminosa que se instalou no seio de algumas empresas brasileiras patrocinadas por esse grupo político que aí está“, declarou o tucano no programa Roberto D´Ávila (assista aqui).

O presidente do PT, Rui Falcão, rebateu ontem a fala de Aécio e disse que interpelará o senador tucano na Justiça para que confirme o que disse na entrevista. Caso a declaração seja confirmada por esse, o partido pretende apresentar queixa crime junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente do PSDB. “O PT não leva recado para casa“, disse Falcão.

Governo do Estado não repassa recursos e Hospital Infantil Varela Santiago suspende cirurgias

Da TRIBUNA DO NORTE.

 

O Hospital Infantil Varela Santiago anunciou nesta terça-feira (2) que vai suspender 50% das cirurgias pediátricas por falta de repasse do Governo do Estado. Segundo a assessoria de imprensa, o hospital já recebeu os avisos das companhias de água e luz (Caern e Cosern) sobre um corte no fornecimento.

O repasse dos recursos é feito pelo Governo do Estado por meio da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap). Porém, de acordo com a assessoria de imprensa do órgão, a Sesap não tem autonomia financeira e não está recebendo toda a verba necessária para fazer os pagamentos em dia.

A expectativa é que o dinheiro necessário para pagar a dívida com o Varela Santiago seja liberado ainda nesta semana.

ESTADO DE “DIREITA” – Operação Lava Jato é para petistas e peemedebistas, já para os tucanos cabe a “Operação Abafa”

Deu em CARTA MAIOR.

 

Primeiro, foi o mensalão. Agora, é o “petrolão”. Em ambos os casos, o esquema de desvio de dinheiro público foi inventado desde o governo tucano de FHC – pelo menos -, mas só descoberto quando vieram os petistas.

Estamos aguardando Aécio Neves, que além de Senador é agora comentarista político do Jornal Nacional, aparecer no estúdio para confessar que continua com a ideia fixa de que tudo o que o PT fez e ampliou começou com FHC.

Há gente muito otimista quanto ao desfecho do atual escândalo, na linha de que não sobrará pedra sobre pedra e que todos serão tratados igualmente pela Polícia Federal do Paraná, pelo Ministério Público e pela Justiça.

Foto Arquivo_Carta MaiorPoderíamos citar Dante e sua Divina Comédia para recomendar a todos que deixem a esperança na porta, ao entrar; mas a situação combina mais com o bordão do compadre Washington (aquele do “sabe de nada, inocente”).

Pouco adianta a constatação do Ministério Público de que o esquema que assaltou a Petrobras existe há pelo menos 15 anos.

Se não houver a devida investigação para dar nome aos bois do período FHC, a constatação cai no vazio – ou melhor, na impunidade.

O problema não é se vai sobrar pedra sobre pedra, mas para onde serão dirigidas as pedradas, se é que alguém ainda tem alguma dúvida.

A apuração feita pela Operação Lava Jato não é neutra. Os investigadores da PF encarregados do caso não são neutros, muito pelo contrário.

A maioria é formada por um grupo de extremistas que foram flagrados em redes sociais vomitando comentários raivosos e confessando suas opções partidárias.

Se dependermos dessa gente diferenciada, não teremos Estado de Direito, mas Estado de direita.

O Código de Ética da associação nacional dos delegados da PF proíbe a seus membros a manifestação de preconceitos de ordem política. Mas alguém acha que esses vão sofrer qualquer reprimenda?

Alguém imagina que os deslizes, considerados ao mesmo tempo graves e primários por gente séria da própria PF, terão a punição que foi aplicada ao ex-delegado Protógenes Queiroz, que cometeu o crime hediondo de prender um banqueiro?

O PSDB tem sido zelosamente preservado nessa “investigação” que deveria ser feita na base do doa em quem doer. Balela.

A operação Lava Jato é só para petistas e, no máximo, para os peemedebistas. Para tucanos, impera a Operação Abafa.

O senador Álvaro Dias e o deputado Luiz Carlos Hauly, ambos tucanos do Paraná, citados por delatores, até agora estão absolutamente preservados.

O nome de Sérgio Guerra, ex-presidente do PSDB, já falecido, apareceu menos como uma revelação do que como um “boi de piranha”. Guerra já não pode confessar nada nem sob tortura.

PT e PMDB têm seus operadores. O PSDB também, mas onde estará o infeliz? Certamente, por aí, limpando sua conta e seus rastros.

Quase metade da lista de políticos citados pelos delatores é formada por apoiadores da campanha de Aécio Neves em 2014 (confira aqui).

A sina persecutória dos delegados paranaenses chegou ao ponto de incriminar o atual Diretor de Abastecimento da Petrobras, José Carlos Cosenza, sem qualquer prova, sem sequer testemunho. O crime do diretor estava apenas na pergunta dos investigadores.

Até mesmo um ex-diretor da PF nomeado por FHC considerou o episódio contra Consenza o cúmulo do absurdo, conforme relatado pelo jornalista Ilimar Franco em sua coluna.

Isso não se faz, a não ser com segundas e terceiras intenções. “Não foi erro material“, como os investigadores alegaram, nem mera trapalhada, foi obra do comitê eleitoral da campanha tucana de terceiro turno.

 

Anedotário do Gilmar

Em qualquer escândalo, quem quer desviar para longe o faro da impensa precisa dar carne aos leões. Só assim se consegue conduzir o olhar para longe de quem se quer proteger e em direção a quem se quer atacar.

Pela milésima vez, uma operação-abafa é feita para esconder a sujeira da corrupção praticada pelo PSDB para debaixo do tapete, tal como foi feita com os mensalões do PSDB e do DEM, com o apoio do oligopólio midiático.

No STF, o ministro Gilmar Mendes vai na mesma linha. Mantém trancada há sete meses uma decisão que já conta com maioria do STF para abolir o financiamento empresarial de campanhas. Com Natal, Ano Novo e Carnaval, a decisão sequestrada por esse pedido de vistas fará aniversário em breve.

Não satisfeito, o ministro ainda se deu ao luxo de nos brindar com a piada, contada com sua voz de coveiro, de que o mensalão deveria ter ido para o juizado de pequenas causas.

A gracinha ocupou as manchetes como se fosse um desabafo, quando não passa de deboche com as instituições.

O anedótico Gilmar Mendes finge que o problema não é com ele, nem com o financiamento privado, nem com empreiteiras, nem com corruptos que são sócios de políticos e partidos. O único problema – dele, pelo menos – é com o PT. O resto pouco importa.

No exato momento em que Gilmar fazia sua graça, a segunda tartaruga sob os cuidados de José Eduardo Cardozo fugia velozmente em plena Esplanada dos Ministérios.

Enquanto isso, tucanos e democratas continuam se fazendo de freiras castas pregando no bordel, mas sem dispensar as notas dobradas das empreiteiras, presas em suas apertadas calcinhas.

Mas que fique bem claro: não são calcinhas vermelhas, são pretas. Aí pode, sem problema.

 

(Clique no link a seguir e leia a íntegra da postagem: http://www.cartamaior.com.br/?%2FEditoria%2FPolitica%2FOperacao-abafa-u20Besta-varrendo-petrolao-tucano-para-debaixo-do-tapete%2F4%2F32285 )

BENÇÃO DOS CÉUS – População de Currais Novos é surpreendida com forte chuva na noite desta terça-feira

Do Blog Jean Souza.

 

Aproximadamente 30mm de chuva, o suficiente para inundar algumas ruas de Currais Novos. Uma delas, a Presidente Kennedy que ficou quase impossibilitada de trafegar veículos.

A chuva que durou cerca de 30 minutos encheu de esperança os curraisnovenses que passam por um pesadelo no abastecimento de água, haja vista que os dois reservatórios que abastecem a cidade estão “secos”. A pluviosidade aconteceu exatamente no dia em que uma equipe do DNOCS estava no município realizando perfuração de 47 poços.

Confira as fotos.

Fotos Jean Souza

Cielo e Banco do Brasil anunciam negócio bilionário na segunda-feira

DIVULGAÇÃO CIELODeu no RADAR ON LINE, por Lauro Jardim.

Depois de pelo menos cinco meses de negociação, será anunciado na segunda-feira o maior negócio do ano no setor financeiro.

A Cielo vai pagar 9 bilhões de reais ao Banco do Brasil pelo direito de assumir a retaguarda, prover serviços e cuidar da parte operacional de toda sua área de cartões de crédito.

POR MAIS DIREITOS – Movimentos sociais convocam marcha por reformas e “contra a direita” na Avenida Paulista nesta quinta (13)

Deu em REDE BRASIL ATUAL.

 

O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e o Coletivo Juntos promovem nesta quinta-feira (13) a partir das 17h, no Vão do Masp, na avenida Paulista, a “Marcha Popular pelas Reformas, contra a Direita, por mais Direitos!”. Para o cientista político Francisco Fonseca, são os movimentos sociais, organizados de baixo para cima, que têm legitimidade para defender as instituições democráticas e lutar por direitos sociais e de cidadania.

O pedido de recontagem de votos por parte do PSDB, as manifestações que reivindicam a volta da ditadura e o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT), a violência contra militantes de esquerda e a esforço golpista por parte da grande mídia, em especial da revista Veja, são componentes de um quadro que cheira ao passado, na opinião do cientista político. “Um passado do qual não temos a menor saudade” e que, na opinião do professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), se “assemelha ao Lacerdismo.”

Francisco FonsecaO Lacerdismo faz referência ao líder político da antiga União Democrática Nacional, partido que, de democrático, não tinha nada, pois, na década de 50, a cada derrota nas urnas, a UDN, batia às portas dos militares, tentando impedir a eleição de Getúlio Vargas, por exemplo, e foi um dos incentivadores do golpe do 1964, que instalou uma ditadura civil-militar que vigorou por 21 anos.

Para Francisco Fonseca, nas últimas eleições, o PSDB incorpora e ressuscita o discurso da UDN, quando o candidato Aécio Neves utiliza na campanha a expressão ‘mar de lama’, cunhada por Carlos Lacerda e, ao se prestar ao papel de porta-vozes de determinados grupos de elite e da classe média que se insurgem contra as mudanças promovidas pela mobilidade social ocorrida nos últimos anos, como a democratização do acesso a espaços públicos, de aeroportos às universidades.

O professor analisa que o PSDB é um partido que teve origem nas classes médias urbanas, moderno, fundado em princípios, mas que “vem fazendo uma trajetória que nega completamente a socialdemocracia, que dá nome ao partido” e que, hoje, “faz uma trajetória da centro-esquerda para a centro-direita e para a direita” e se posiciona contra avanços em direitos sociais, em temas como o aborto ou na proposta de redução de maioridade penal.

Segundo Fonseca, o partido contribui negativamente com a democracia ao estimular tal discurso conservador nos setores de classe média, que não deve ser entendida como conservadora por definição e por não ter um projeto de nação.

O cientista político destaca ainda a necessidade de se promover uma reforma nos meios de comunicação em busca de maior pluralidade e que se reveja o critério de concessão de rádio e televisão, e a distribuição de publicidade oficial para veículos que, abertamente, se manifestam contra a democracia e fomentam “o discurso golpista.”

Ele conclui retomando a necessidade de mobilização popular para instituir tais reformas  e resistir ao avanço do discurso conservador: “Tudo isso está presente nesta postura de vencer esse debate público da democracia contra o autoritarismo, dos direitos sociais contra o elitismo. É isso que está em jogo. Se o Brasil, hoje, é uma democracia, essa democracia passa pelos movimentos sociais”, afirma o professor Francisco Fonseca.

VEJA CRIMINOSA – “Não houve depoimento. É mentira. Desafio qualquer um a provar que houve oitiva da delação premiada”, diz advogado de Youssef

Deu no Portal BRASIL 247.

A situação da revista Veja e da Editora Abril, que atingiu o fundo do poço da credibilidade no último fim de semana, com a capa criminosa contra a presidente Dilma Rousseff, acusada sem provas pela publicação, pode se tornar ainda mais grave.

Reportagem do jornal Valor Econômico, publicada nesta quinta-feira, revela algo escandaloso: o “depoimento” do doleiro Alberto Youssef que ancora a chamada “Eles sabiam de tudo“, sobre Lula e Dilma, simplesmente não existiu.

VEJA LIXO_Imagem blog Gazetadaserra.comFoi uma invenção de Veja, que atentou contra a democracia, tirou cerca de 3 milhões de votos da presidente Dilma Rousseff e, por pouco, não mudou o resultado da disputa presidencial, ferindo a soberania popular do eleitor brasileiro.

Quem afirma que o depoimento não existiu é ninguém menos que o advogado Antônio Figureido Basto, que representa o doleiro. “Nesse dia não houve depoimento no âmbito da delação. Isso é mentira. Desafio qualquer um a provar que houve oitiva da delação premiada na quarta-feira“, disse ele.

Basto também nega uma versão pró-Veja que começou a circular após as eleições – a de que Youssef teria feito um depoimento e depois retificado. “Não houve retificação alguma. Ou a fonte da matéria mentiu ou isso é má-fé mesmo“, acusa o defensor de Youssef.

Com isso, a situação de Veja torna-se delicadíssima. No fim de semana, a publicação passou por uma das maiores humilhações de sua história, ao ser obrigada a publicar um direito de resposta contra um candidato – no caso, a presidente Dilma Rousseff – em pleno dia de votação.

Agora, a revista pode ser condenada a circular neste próximo fim de semana com uma capa e páginas internas, também com direito de resposta. A decisão está nas mãos do ministro Teori Zavascki, que pode decidir monocraticamente – ou levar a questão ao plenário do Supremo Tribunal Federal. Mas mesmo no plenário Veja tende a perder. Afinal, como os ministros justificariam o direito de informar uma mentira, com claras finalidades eleitorais e antidemocráticas?

Veja cometeu um atentado contra a democracia brasileira, que envergonha o jornalismo, e este crime é apontado pelo próprio advogado do doleiro Youssef. Os responsáveis diretos são: Giancarlo Civita, controlador da Abril, Fábio Barbosa, presidente da empresa, e Eurípedes Alcântara, diretor de Redação de Veja.

Abaixo, reportagem do Valor Econômico sobre o caso:

Advogado de Youssef nega participação em ‘divulgação distorcida’

Por André Guilherme Vieira | De São Paulo

 

O advogado que representa Alberto Youssef, Antonio Figueiredo Basto, negou envolvimento na divulgação de informações que teriam sido prestadas pelo doleiro no âmbito da delação premiada, sobre o conhecimento de suposto esquema de corrupção na Petrobras pela presidente reeleita Dilma Rousseff (PT) e pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Asseguro que eu e minha equipe não tivemos nenhuma participação nessa divulgação distorcida”, afirmou ao Valor Pro. A informação de que Dilma e Lula sabiam da corrupção na Petrobras foi divulgada na sexta-feira passada pela revista “Veja”.

No mesmo dia, o superintendente da Polícia Federal (PF) no Paraná, delegado Rosalvo Ferreira Franco, determinou abertura de inquérito para apurar “o acesso de terceiros” ao conteúdo do depoimento prestado por Youssef a delegados da PF e a procuradores da República.

“Acho mesmo que isso tem que ser investigado. Queremos uma apuração rigorosa”, garante Basto, que já integrou o conselho da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar). “Eu não tenho nenhuma relação com o PSDB. Me desliguei em 2002 do conselho da Sanepar [controlada pelo governo do Estado]. Não tenho vínculo partidário e nem pretendo ter. Nem com PSDB, nem com PT, nem com partido algum”, afirma. O Paraná é governado por Beto Richa desde janeiro de 2011. Ele foi reconduzido ao cargo no primeiro turno da eleição deste ano.

A reportagem menciona que a declaração de Youssef teria ocorrido no dia 22 de outubro. “Nesse dia não houve depoimento no âmbito da delação. Isso é mentira. Desafio qualquer um a provar que houve oitiva da delação premiada na quarta-feira”, afirma, irritado, Basto. O advogado diz ser falsa a informação de que o depoimento teria ocorrido na quarta-feira para que fosse feito um “aditamento” ou retificação sobre o que o doleiro afirmara no dia anterior: “Não houve retificação alguma. Ou a fonte da matéria mentiu ou isso é má-fé mesmo”, acusa o defensor de Youssef.

Iniciadas no final de setembro, as declarações de Youssef que compõem seu termo de delação premiada são acompanhadas pelo advogado Tracy Joseph Reinaldet dos Santos, que atua conjuntamente com Basto.

O Valor PRO apurou que o alvo principal da operação Lava-Jato disse em conversas informais com advogados e investigadores, que pessoalmente considerava “muito difícil” que o presidente da República não tivesse conhecimento de um esquema que desviaria bilhões de reais da Petrobras para abastecer caixa dois de partidos e favorecer empreiteiras.

“Todo mundo lá em cima sabia”, teria dito o doleiro, sem, no entanto, citar nomes ou apresentar provas.

O esquema de corrupção na diretoria de Abastecimento da Petrobras teria começado em 2005, segundo a investigação e o interrogatório à Justiça Federal do ex-diretor de Abastecimento da petrolífera, Paulo Roberto Costa. Era o segundo ano do primeiro mandato do então presidente Lula. Dilma foi nomeada ministra de Minas e Energia em 2003.

Segundo a versão de Costa à Justiça, Lula teria cedido à pressão partidária para nomeá-lo diretor da Petrobras, sob risco de ter a governabilidade ameaçada pelo trancamento da pauta do Congresso. “Mesmo que essa declaração do Paulo Roberto [Costa] seja fato e que a comprovemos nos autos, qual é o crime que existe nisso?”, questiona um dos investigadores da Lava-Jato. “Uma coisa é a atividade política. Outra é eventual crime dela decorrente. Toda a delação de Costa e outras que venham a ocorrer serão submetidas ao crivo do inquérito policial e da devida investigação”, esclarece.

A PF também instaurou inquérito para apurar supostos vazamentos da delação premiada de Costa.

Investigações sobre vazamentos podem resultar em processo penal. No dia 21 deste mês, o deputado federal Protógenes Queiroz (PC do B-SP) foi condenado pela 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) por violação de sigilo funcional qualificada. Queiroz, que é delegado da PF, foi responsabilizado por “vazar” informações da operação Satiagraha, deflagrada em São Paulo em 2008.

Recepcionista processa Robinson Faria por danos morais e materiais pela compra de um dos seus apartamentos do Minha Casa, Minha Vida

Deu na TRIBUNA DO NORTE.

 

Os apartamentos do vice-governador Robinson Faria, candidato do PSD ao Governo do Estado, no condomínio Jangadas, em Nova Parnamirim, estão à venda e pelo menos um deles é objeto de contenda judicial com o comprador. A recepcionista Suzanna Vidal Borba acertou, com uma imobiliária de Natal, a compra por R$ 119.800,00 do apartamento 203 na torre 23 do residencial, um dos 96 listados como sendo de propriedade de Robinson Faria. A recepcionista pagou à Bezerra Imóveis R$ 15 mil de sinal pelo negócio, entre os dias 11 e 13 de setembro do ano passado, mas até agora não recebeu o apartamento.

Passado um ano do pagamento, no último dia 30 de setembro o caso foi parar na Justiça. No Sétimo Juizado Especial Cível Central de Natal tramita o processo 0801505-96.2014.8.20.5004 que tem como réus Robinson Faria e a imobiliária responsável pela intermediação da venda. Os dois já foram citados e uma audiência de conciliação marcada para o dia 18 de novembro, às 08h40.

Montagem KK - Robinson e o Minha Casa, Minha Vida

Suzanna Vidal comentou, no Instagram, uma reclamação sobre o negócio em que se sente frustrada. “Eu fiquei no prejuízo de R$ 15 mil. Este valor para vocês, riquinhos, provavelmente é insignificante. Mas para mim custou anos de trabalho”, lamentou. Segundo a advogada Emanuelly Sousa, não houve qualquer justificativa da parte de Robinson Faria e da imobiliária responsável acerca do atraso. “Mesmo após um ano do pagamento da entrada contratual ter sido efetivada, não houve qualquer manifestação quanto a entrega do bem objeto deste contrato. A negativa de ressarcimento pelos requeridos só demonstra a má-fé com que conduzem suas operações”, disse a advogada.

O pagamento do valor da entrada foi realizado em duas parcelas. A primeira, no dia 11 de setembro de 2013, foi de R$ 5 mil. A segunda, de R$ 10 mil, foi paga dois dias depois, de acordo com os recibos anexados no processo. Além disso, a recepcionista ganhou um subsídio de R$ 15.774 do Governo Federal através do Minha Casa, Minha Vida. Foram financiados R$ 89.026 e não houve dificuldades na aprovação do financiamento pela instituição financeira, ainda segundo os termos da ação na Justiça.

A entrada em dinheiro foi fruto das economias de Suzanna. “O valor apresentado pela autora foi fruto de grande sacrifício, na qualidade de recepcionista, a renda da Sra. Suzanna é muito baixa, arcando essa com todas as despesas de seu lar, após anos economizando, na tentativa de adquirir um imóvel próprio, a autora encontra-se hoje morando na residência de amigos”, diz a advogada no processo.

Nas palavras da advogada Emanuelly Sousa, a recepcionista depende hoje da caridade de amigos para ter onde morar. “Enquanto os requeridos capitalizam e usufruem dos valores dados em garantia para um contrato que nunca se efetivou, a autora amarga a angústia e o desconforto de estar vivendo em casa de terceiros, dependendo exclusivamente da caridade de amigos, tendo as suas economias retidas por empresários de condições sociais infinitamente superiores”, argumenta a advogada.

Suzanna Vidal pede na ação a entrega imediata do apartamento ou a devolução do valor de R$ 15 mil, pago há mais de um ano, em dobro e com as respectivas correções monetárias. Além disso, pede indenização por danos materiais de R$ 30 mil e a condenação de Robinson Faria e da imobiliária por danos morais.

 

Outro lado

A reportagem da TRIBUNA DO NORTE procurou a Assessoria de Imprensa do candidato Robinson Faria e foi informada de que o candidato não irá se pronunciar sobre o assunto da venda do apartamento para a recepcionista Suzanna Vidal Borba. A reportagem também telefonou seguidamente para o empresário Valdemir Bezerra, proprietário da Bezerra Imóveis, mas ele não atendeu as chamadas.

Deputado Federal reeleito pelo PSOL/RJ, Marcelo Freixo anuncia voto em Dilma para vetar “o que há de mais reacionário e retrógrado concentrado no programa de Aécio”

Deu no Portal BRASIL 247.

 

O deputado federal reeleito pelo Rio de Janeiro e primeiro membro do PSOL a declarar o voto pela reeleição da presidente Dilma Rousseff no segundo turno, Marcelo Freixo, afirmou que a sua decisão está baseada nas propostas “inaceitáveis” pregadas por Aécio Neves (PSDB) em relação as políticas de direitos humanos contidas no programa de governo tucano. “Meu voto é um veto ao que há de mais reacionário e retrógrado na República Brasileira e que se concentra na campanha do Aécio”, disparou em referência as propostas de privatização dos presídios e de redução da maioridade penal defendidas pelo PSDB.

 Imagem Portal BRASIL 247_editada

O deputado federal reeleito pelo Rio de Janeiro e primeiro membro do PSOL a declarar o voto pela reeleição da presidente Dilma Rousseff no segundo turno, Marcelo Freixo, afirmou que a sua decisão está baseada nas propostas “inaceitáveis” pregadas por Aécio Neves (PSDB) em relação as políticas de direitos humanos contidas no programa de governo tucano. “Meu voto é um veto ao que há de mais reacionário e retrogrado na República Brasileira e que se concentra na campanha do Aécio“, disparou, neste sábado (18), durante um ato de campanha no Rio de Janeiro.

Segundo Freixo, não obstante as diferenças ideológicas no que diz respeito à política internacional, o desrespeito com o modelo neoliberal e ao estado mínimo, a diferença “mais especifica é a defesa fundamental dos direitos humanos“, área onde o parlamentar milita há mais de 30 anos. “O Aécio está claramente defendendo a privatização dos presídios e a redução da maioridade penal. Isso significa que ele abriu mão da juventude negra e pobre, da periferia e da favela“, disparou.

Não somos favoráveis à redução da maioridade penal porque queremos disputar a vida de cada jovem que está lá na periferia, na favela. Queremos esta juventude no banco da escola e não no banco dos réus. Isso nos separa e nos define como classes antagônicas“, afirmou Freixo.

Segundo Freixo, as eleições acabaram por eleger “uma onda conservadora” e cabe à militância lutar para “garantir a eleição e que este governo caminhe para a esquerda“. “A gente tem que colocar a militância na rua. Não será uma eleição fácil. O voto conservador, a onda conservadora, fez que o Bolsonaro [Jair Bolsonaro – PP] fosse o deputado federal mais votado do Rio de Janeiro, é que está em jogo neste momento. Cada militante de esquerda do Rio tem que ir para a rua para garantir a eleição e ir às ruas para cobrar, para garantir, que este governo caminhe para a esquerda“, afirmou.

Para Freixo, a vitória de Aécio seria um retrocesso. “E a gente está aqui para dizer que não aceitamos este retrocesso. Quem diz que governa para todo o mundo, mente para alguém. Queremos um governo voltado para os mais pobres“, assegurou o parlamentar.

Freixo também voltou a comentar ao assunto em sua página pessoal no Facebook.

 

(Veja postagem na íntegra: http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/157505/Freixo-meu-voto-%C3%A9-um-veto-ao-projeto-tucano.htm )

“Dilma disputa com Aécio e com a mídia e ela tem que denunciar o que está acontecendo: bombardeio midiático contra si e blindagem midiática de Aécio”

Deu no Blog da Cidadania, por Eduardo Guimarães.

 

Rachou, e rachou ao meio. As pesquisas Datafolha e Ibope recém-divulgadas concordam – até numericamente – que Dilma Rousseff e Aécio Neves têm, cada um, metade do eleitorado consigo. Seja em votos válidos, seja em votos totais.

A vantagem numérica de 2 pontos percentuais – portanto, dentro da margem de erro – que os dois institutos deram a Aécio Neves (51% contra 49% de Dilma, em votos válidos) pode muito bem decorrer da preferência que os donos de Datafolha e Ibope – respectivamente, as famílias Frias (dona de fato) e Marinho (dona de direito) – acalentam pelo tucano.

Imagem Blog da CidadaniaSegundo o Ibope, 4% do eleitorado ainda não sabe em quem votar. Já no Datafolha, são 6%. Poderíamos dizer que, na média, 5% do eleitorado ainda está indeciso. Esse universo de menos de 10 milhões de eleitores irá decidir a eleição.

O que ocorre é que Aécio detém uma vantagem extremamente injusta sobre Dilma. Nos últimos dias, essa mídia, “esquecendo” de todos os escândalos que envolvem o PSDB, dedicou-se exclusivamente a acusar o PT. Sem parar.

Aliás, nos últimos dias um petista e um tucano foram flagrados em aeroportos transportando altas somas em espécie. Como a mídia tratou os dois casos? Escondeu o do tucano e pôs na primeira página o do petista.

Nos jornais, telejornais, rádios, portais de internet, as acusações de corrupção incessantes contra o PT. E o que é pior: com base em informações não confirmadas, sob apuração das autoridades. Na mídia partidária de Aécio, porém, não precisa mais investigação nenhuma: o PT – e, por extensão, Dilma – é culpado.

Todos os casos de corrupção envolvendo o PSDB (escândalo dos trens em SP, entre outros), a crise hídrica em SP, o caso dos aeroportos que Aécio mandou construir em terras de sua família em Minas Gerais, tudo isso é tratado lá no último caderno e nem chega aos telejornais.

Como o eleitorado que irá decidir esta eleição é extremamente pequeno, os ataques da mídia ao PT e a blindagem dessa mídia ao PSDB podem fazer a balança pender para Aécio.

Por mais que o primeiro programa de Dilma no segundo turno tenha começado bem, com um terceiro ator em jogo na disputa (a mídia), a petista não poderá pelear só com Aécio, pois ele poderá muito bem se portar como Marina, fazendo-se de coitadinho, deixando os ataques para Globos, Folhas, Vejas e Estadões.

No primeiro turno, Lula abriu a propaganda eleitoral de Dilma atacando a mídia. Depois, parou. Até porque, no primeiro turno essa mídia chegou a dar notícias desfavoráveis para Aécio ao mencionar, brevemente, o escândalo dos aeroportos.

Agora, porém, não tem mais jeito. Quem assistiu a edição do Jornal Nacional que precedeu o reinício da propaganda eleitoral na tevê e viu o telejornal superdimensionar a vantagem de 2 pontos de Aécio nas pesquisas e martelar acusações sem provas contra o PT, já percebeu que essa situação irá perdurar durante todo o segundo turno.

Dilma, portanto, disputa com Aécio e com a mídia. Dilma não tem um adversário, tem dois. E se tem dois adversários, não pode se defender ou atacar só um deles, por mais que seja injusto uma luta de dois contra uma. Terá, pois, que lutar com ambos.

Como? Dilma tem que denunciar exatamente o que está acontecendo – bombardeio midiático contra si e blindagem midiática de Aécio. Nem mais, nem menos. Afinal, graças às mentiras da mídia e a uma miríade de fatores laterais, o país vive uma situação-limite.

O risco de entregar o país aos banqueiros, à mídia e aos seus despachantes tucanos, em 2014 é o mais alto desde que o PT chegou ao poder. Se Aécio vencer, terá início uma era de perseguições políticas, saque ao patrimônio público, fim das investigações de corrupção contra o governo, entrega da soberania brasileira aos países ricos, sobretudo aos EUA.

Dilma, Lula e o PT não têm que reagir à mídia em defesa de seus interesses eleitorais. Eles têm obrigação de reagir em defesa do povo brasileiro, ora ameaçado por uma coalizão infame do capital financeiro que planeja sugar o sangue deste país até a última gota.

 

(Postagem original: http://www.blogdacidadania.com.br/2014/10/com-o-pais-dividido-dilma-tera-que-denunciar-a-midia/ )

São Paulo é a maior barreira para Dilma, enquanto Minas diz “não” a Aécio e as regiões Norte, Nordeste e Centro Oeste são desfavoráveis ao tucano

Deu no Portal BRASIL 247.

 

Tereza Cruvinel, colunista do 247, avalia que Dilma e Aécio chegam em igualdade de condições ao segundo turno e com desafios gigantes; “A maior barreira no caminho de Dilma é São Paulo, que deu ao tucano 45% de votos, contribuindo decisivamente para sua votação final. Afora o anti-petismo natural dos paulistas, que também detestavam Getúlio e Brizola, ali o PSDB tem sua maior fortaleza, um governador reeleito por maioria expressiva, um senador vitorioso e as forças do mercado que já se congregam para a batalha anti-Dilma”, diz ela; Aécio, por sua vez, terá de explicar sua derrota em Minas; “A derrota de Aécio em Minas – tanto na escolha do governador como na votação para presidente – abriu um flanco em seu próprio discurso, o de que seu governo em Minas, amplamente apoiado pelos mineiros, seria a prova de sua capacidade de governar o Brasil com eficiência e decência”.

 Imagem Portal BRASIL 247

A presidente Dilma Rousseff e o senador Aécio Neves chegam ao segundo turno da disputa presidencial em igualdade de condições. É o que avalia a jornalista Tereza Cruvinel, colunista do 247, no artigo PTxPSDB: o enfrentamento mais duro.

No texto, ela analisa as dificuldades de cada um deles, a começar pela presidente Dilma. “A maior barreira no caminho de Dilma é São Paulo, que deu ao tucano 45% de votos, contribuindo decisivamente para sua votação final. Afora o anti-petismo natural dos paulistas, que também detestavam Getúlio e Brizola, ali o PSDB tem sua maior fortaleza, um governador reeleito por maioria expressiva, um senador vitorioso e as forças do mercado que já se congregam para a batalha anti-Dilma“, diz ela. “Como este é um paredão de rocha firme, ela precisará manter a dianteira conquistada em Minas, unificar suas forças no Rio e avançar ainda mais nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, desfavoráveis ao tucano

No caso de Aécio, a derrota em primeiro turno em Minas Gerais abre um flanco no seu discurso. “A derrota de Aécio em Minas – tanto na escolha do governador como na votação para presidente – abriu um flanco em seu próprio discurso, o de que seu governo em Minas, amplamente apoiado pelos mineiros, seria a prova de sua capacidade de governar o Brasil com “eficiência e decência”. Seu maior desafio é reconquistar os votos que perdeu em Minas, apontando que eles viriam por gravidade, manter a cabeça de ponte paulista e tentar avançar no resto do país”, afirma.

Outro desafio do PT será reconquistar aliados. “Dilma terá que recompor-se com aliados magoados, especialmente os do PMDB que se atritaram com o PT, como a família Sarney no Maranhão. O segundo turno pode ser a hora da vingança para muitos desafetos de Dilma e do PT. Aqui entra Lula. Ninguém melhor do que ele poderá tentar recompor a aliança que o sustentou e garantiu a eleição de Dilma em 2010, quando ela era um poste. Esta aliança, ao longo do governo dela, esgarçou-se e isso contribuiu para que ela tivesse a menor votação do PT nas disputas presidenciais

Leia a íntegra no blog de Tereza Cruvinel.

PEGA NA MENTIRA – Marina mente sobre CPMF no debate da Band e é desmentida por Dilma no debate da Record

Deu no Portal BRASIL 247.

 

O ponto mais quente do debate de ontem, na Rede Record, foi o duelo entre a presidente Dilma Rousseff e a ex-senadora Marina Silva, que, no debate da Band, havia dito “não fazer oposição pela oposição”, citando como exemplo o fato de ter votado contra o seu partido e a favor da CPMF; Dilma questionou Marina, que tentou sair pela tangente, mas os dados do Senado informam que ela votou não quatro vezes: em 18 de outubro de 1995 e 8 de novembro de 1995, no primeiro e no segundo turnos da PEC 40/1995, e também em 6 e 19 de janeiro de 1999, no primeiro e no segundo turnos da PEC 34/1998; “me estarrece que a senhora não se lembre”, disse Dilma; “já valeu o debate, Marina foi pega na mentira”, disse Rui Falcão, presidente do PT, da plateia.

 Imagem Portal Brasil 247_1

A ex-senadora Marina Silva mentiu no debate da Rede Bandeirantes e, ontem, não conseguiu sair da saia justa quando foi confrontada sobre isso pela presidente Dilma Rousseff, no ponto mais quente do enfrentamento entre os candidatos à presidência da República.

Logo na primeira pergunta, Dilma questionou Marina sobre como ela havia votado na questão da CPMF – na Band, ela havia dito não fazer “oposição pela oposição“, citando o caso da CPMF, quando teria sido a favor, mesmo contrariando a vontade de seu partido.

Sem responder, Marina apenas tergiversou, dizendo ter sido a favor, quando se tratava de um fundo para combate à pobreza.

Na realidade, houve quatro votações sobre a CPMF, durante o período emque Marina Silva foi senadora. E, em todos os casos, ela votou contra.

Foi o que aconteceu em 18 de outubro em 1995 e 8 de novembro do mesmo ano, quando tramitaram em primeiro e segundo turnos a Proposta de Emenda Constitucional 40/1995. E também em 6 e 19 de janeiro de 1999, quando foi a vez da PEC 34/1998. Nas quatro oportunidades, Marina Silva votou não.

Me estarrece que a senhora não se lembre que votou quatro vezes contra a CPMF“, disse a presidente Dilma. Na saída, o presidente do PT, Rui Falcão, celebrou o que considerou uma importante vitória. “A Marina foi pega na mentira e isso já valeu o debate“.

Antes mesmo do fim do encontro, uma inserção comercial da coligação “Com a força do povo”, da qual faz parte o PT, já apontava a mentira de Marina sobre a CPMF.

Confira, abaixo, como foram os votos da ex-senadora nas quatro oportunidades:

Imagem Portal Brasil 247_2

“MARINA VAI COM AS OUTRAS” – Posicionamentos incoerentes e volúveis de Marina Silva serão evidenciados nos próximos programas do PT

Deu no PORTAL BRASIL 247.

 

Incoerências de Marina Silva (PSB) serão o tema central de seis novas peças de propaganda da campanha da presidente Dilma Rousseff; PT vai evidenciar a mudança de ideia da ex-senadora em temas como transgênicos, pré-sal e revisão da Lei da Anistia, com música em ritmo de marchinha de Carnaval: “A Marina vai com as outras, a Marina volta atrás. Ela joga pra torcida, depois vê como é que faz”; ex-senadora está cercada por legião de “gurus” que influencia suas decisões, como a herdeira do Itaú, Neca Setubal, e por lideranças que barganham apoio como o pastor Silas Malafaia e o líder rural Roberto Rodrigues.

 Imagem PORTAL BRASIL 247

Em alta nas pesquisas, a presidente Dilma Rousseff vai manter a estratégia de evidenciar ao eleitor as incoerências de sua principal adversária no momento, a candidata Marina Silva.

Segundo o colunista Bernardo Mello Franco, as constantes mudanças de ideia da ex-senadora, em temas como transgênicos, pré-sal e revisão da Lei da Anistia, serão o mote central de seis novas peças de propaganda da campanha petista, com música em ritmo de marchinha de Carnaval: “A Marina vai com as outras, a Marina volta atrás. Ela joga pra torcida, depois vê como é que faz“.

Em outro quadro, vai imitar a ex-senadora falando com voz de aparelho de GPS: “Vire à esquerda. Não, mudei de ideia, é direita. Isso, direita mesmo!”. O locutor emenda: “Se como candidata Marina está sempre mudando de direção, imagine como governante“.

Cercada por uma legião de “gurus”, como a herdeira do Itaú, Neca Setúbal, Marina Silva hoje nega convicções políticas do passado. Além disso, influenciada pela busca de votos, tem recuado diversas vezes em seu plano de governo para atender a interesses de setores da sociedade. É o caso do pastor Silas Malafaia que pressionou para o PSB rever seu apoio à causa gay em troca do apoio dos evangélicos. Mais recentemente, a ex-senadora fez nova revisão para atender às exigências de lideranças do agronegócio, como o ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, um setor que tenta seduzir após anos de guerra com sua passagem pelo Ministério do Meio Ambiente.

 

(Postagem original: www.brasil247.com/pt/247/poder/154520/Marina-vai-com-as-outras-vira-mote-do-PT-no-rádio.htm )

Para FHC, presença de Marina no segundo turno não está garantida e “Dilma pode vencer”

FHCAinda do PORTAL BRASIL 247.

 

Em encontro com investidores internacionais, promovido em Nova York pelo banco JP Morgan, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso pediu cautela ao setor quanto ao desempenho da presidente Dilma Rousseff nas pesquisas sobre a disputa à Presidência: “Não se iludam. A presidente Dilma Rousseff ainda pode vencer as eleições“.

Segundo a colunista Mônica Bergamo, no dia da reunião, Marina Silva, do PSB, mantinha dianteira folgada de Dilma num hipotético segundo turno. Mas FHC afirmou que a força da máquina governista não pode ser desprezada. Hoje, a situação é de empate no segundo turno, com Dilma em vantagem no primeiro, segundo o Datafolha.

Quanto ao presidenciável de seu partido, Aécio Neves, sinalizou que nada estava perdido e que a presença de Marina Silva (PSB) no segundo turno não está garantida. Na semana passada, o Datafolha mostrou que a distância entre ela e o tucano diminuiu para 13 pontos.

Enquanto Marina vê o “petróleo como um mal necessário” e dedica somente uma linha do tema em seu plano de governo, estudo global aponta Brasil como potência energética

Deu no PORTAL BRASIL 247.

 

Posição estratégia dependerá da exploração de petróleo em águas profundas, na qual o Brasil é líder, e de fontes renováveis, grande riqueza do País; estudo ‘World Energy Outlook’, desenvolvido pela Agência Internacional de Energia (AIE), prevê que o Brasil será autossuficiente na área de energia em 2035; pré-sal tem sido um dos focos do debate eleitoral; presidente Dilma Rousseff chama o recurso de uma das principais riquezas brasileiras e critica o pouco espaço dedicado ao tema no programa de governo da adversária do PSB, Marina Silva, que disse que o petróleo é um mal necessário.

 Imagem PORTAL BRASIL 247

O Brasil tem todas as condições para se tornar uma potência energética em 2035, prevê o estudo ‘World Energy Outlook’, desenvolvido pela Agência Internacional de Energia (AIE). O documento enxerga o País como autossuficiente na área de energia naquele ano. O cenário depende da exploração de petróleo em águas profundas, na qual o Brasil é líder, e em fontes renováveis, uma riqueza nacional.

A previsão está alinhada com os investimentos previstos para os próximos anos, avalia o Ministério de Minas e Energia, que na semana passada divulgou o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2023). O plano prevê investimento de R$ 1,263 bilhão para os próximos 10 anos – 2,5% do PIB acumulado entre 2014 e 2023 ou 11,6% dos investimentos totais no País.

“Temos uma taxa de crescimento populacional de 1% ao ano e nosso consumo per capita de energia é de apenas 2500 KWhora/ano e até 2050 continuaremos crescendo em demanda energética. Como temos fontes renováveis abundantes e excelentes expectativas com o pré-sal, deveremos nos tornar exportadores de energia e mudar o atual quadro, em que importamos 14% da energia usada“, explicou Altino Ventura, secretário de planejamento estratégico do MME, segundo reportagem do Valor Econômico.

O plano do ministério prevê que serão investidos R$ 879 bilhões (69,3%) na exploração de petróleo e gás, R$ 301 bilhões (23,9%) em hidrelétricas e R$ 82 bilhões (6,5%) em biocombustíveis (principalmente etanol e derivados do bagaço de cana). Além disso, as maiores hidrelétricas, como Belo Monte e Jirau, estarão concluídas até 2023 e ainda uma expansão de 70 mil km de linhas de transmissão, que possibilitarão um aproveitamento de 170 mil MW.

A exploração do pré-sal tem sido pauta constante no debate eleitoral. A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, defende o petróleo em águas profundas como uma das maiores riquezas brasileiras e que garantirá o futuro da educação no País. Ela critica a posição da adversária do PSB, Marina Silva, que como apontou Dilma, “dedicou uma linha” ao tema em seu programa de governo. Além disso, Marina declarou que o petróleo é um “mal necessário“.

Atores, músicos, jornalistas, escritores e intelectuais assinam manifesto em apoio a Dilma

Deu no PORTAL BRASIL 247.

 

Lista é composta por atores renomados, como Osmar Prado, Paulo Betti e Matheus Nachtergaele, e personalidades da música, como Chico Buarque e as cantoras Beth Carvalho e Zezé Motta; entre os escritores estão Fernando Morais e Luis Fernando Veríssimo, além de intelectuais e jornalistas; “Os brasileiros decidem agora se o caminho em que o país está desde 2003 é positivo e deve ser mantido, melhorado e aprofundado, ou se devemos voltar ao Brasil de antes – o do desemprego, da entrega, da pobreza e da humilhação”, diz texto do manifesto.

 Imagem PORTAL BRASIL 247

Dezenas de artistas renomados, entre cantores, compositores, atores e escritores, além de jornalistas e intelectuais, assinam um manifesto de apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) em outubro. “Os brasileiros decidem agora se o caminho em que o país está desde 2003 é positivo e deve ser mantido, melhorado e aprofundado, ou se devemos voltar ao Brasil de antes – o do desemprego, da entrega, da pobreza e da humilhação“, diz trecho do texto.

O manifesto, publicado no site manifesto.dilma.com.br, afirma ainda que “nunca o Brasil havia vivido um processo tão profundo e prolongado de mudança e de justiça social, reconhecendo e assegurando os direitos daqueles que sempre foram abandonados“. Os artistas acreditam que “abandonar esse caminho para retomar fórmulas econômicas que protegem os privilegiados de sempre seria um enorme retrocesso“.

O brasileiro já pagou um preço demasiado para beneficiar os especuladores e os gananciosos. Não se pode admitir voltar atrás e eliminar os programas sociais, tirar do Estado sua responsabilidade básica e fundamental“, prossegue o manifesto, ressaltando que o Brasil precisa reformular determinadas políticas e aprofundar transformações, mas que precisa “mudar avançando e não recuando“. “O caminho iniciado por Lula e continuado por Dilma é o da primavera de todos os brasileiros. Por isso apoiamos Dilma Rousseff“, conclui o texto.

Entre os que assinam estão atores famosos, como Osmar Prado, Paulo Betti e Matheus Nachtergaele, personalidades da música, como Chico Buarque e as cantoras Beth Carvalho e Zezé Motta. Entre os escritores estão Fernando Morais e Luis Fernando Veríssimo, além de intelectuais e jornalistas.

“Aécio morreu como candidato; arrefeceu a paixão dos eleitores por Marina, que parou de crescer; Dilma reconquistou o ímpeto e foi quem melhor se saiu neste Datafolha”

Deu no DIÁRIO DO CENTRO DO MUNDO, por Paulo Nogueira.

 

A principal conclusão do novo Datafolha é que o escândalo da Petrobras flopou.

Quer dizer: fracassou como algo capaz de mudar os rumos das eleições em favor de Aécio.

As entrevistas foram feitas no extremo calor das denúncias, e Aécio permaneceu num distante terceiro lugar, com 15% das intenções de voto.

Dilma, que deveria ser o candidato mais afetado pelo caso Petrobras, foi quem melhor se saiu neste Datafolha.

Manteve a dianteira no primeiro turno e, depois de estar atrás dez pontos de Marina no segundo, avançou agora rumo a um empate técnico.

O índice de aprovação de seu governo – aqueles que o consideram ótimo ou bom – se estabilizou em 36%, depois de baixar a 32% algumas semanas atrás.

Foto implicante.org

Marina enfrenta uma situação um pouco mais delicada, agora.

Ela parou de crescer. Num determinado instante, era de tal monta seu avanço – combinado com quedas de Dilma — que alguns imaginaram que ela pudesse levar no primeiro turno.

A grande questão, agora, é se, deixando de ir para a frente, ela estaciona nos patamares atuais ou se dá ré.

É fato que arrefeceu a paixão dos eleitores por Marina. Os primeiros ventos, depois da morte de Campos, lhe eram todos favoráveis.

Agora há vento contra também. O mais forte destes surgiu depois que ela recuou na questão do casamento dos homossexuais sob pressão de Silas Malafaia.

O quadro atual é mais ou menos este: Aécio morreu como candidato, e sequer um milagre parece capaz de ressuscitá-lo.

Dilma reconquistou o ímpeto que parecera ter perdido com a irrupção da Marinamania.

Ela tem feito um uso de grande eficiência em seu tempo de propaganda gratuita.

O vídeo em que ela falou de corrupção foi particularmente feliz.

Você pode ser levado a achar que não existe corrupção caso a mídia e o governo se juntem para dar uma falsa impressão de pureza.

Basta não noticiar casos de corrupção em governos amigos. Ninguém deu, por exemplo, a compra de votos no Congresso para a reeleição de FHC.

Na ditadura militar, parecia que não existia corrupção no país, porque os jornais não noticiavam.

Pelo lado oposto, durante a era de Getúlio e nos dias de Jango, os jornais falavam incessantemente de um mar de lama – com escândalos muitas vezes simplesmente inventados.

A sociedade – até por conta da internet como fator de contrapeso à mídia tradicional – parece ter entendido que não raro o moralismo é o último refúgio dos canalhas.

Dilma foi muito bem em sua fala sobre corrupção. Jogou luz onde havia escuridão.

Quanto a Marina, vai ter que trabalhar em dobro para que o viés de queda no segundo não se transforme em algo definitivo.

Neste momento, sob as circunstâncias atuais, o favoritismo está com Dilma – num segundo turno que pode ser menos apertado do que parecia até alguns dias atrás.

 

(Postagem original: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/a-principal-conclusao-sobre-o-novo-datafolha/ )

VOX POPULI – Dilma já abre 8 pontos sobre Marina e Aécio permanece fora da disputa num distante terceiro lugar

Deu no PORTAL BRASIL 247.

 

Na simulação de primeiro turno, pesquisa Carta Capital/Vox Populi mostra presidente Dilma Rousseff, 36%, Marina Silva, 28% e Aécio Neves, 15%; simulação de segundo turno revela novo crescimento de Dilma sobre adversária; enquanto Marina marcou 42%, presidente fez 41%; expectativa agora é pela divulgação da pesquisa Datafolha; mercado financeiro abre dia em agitação; no campo político, petistas vão insistir em desconstrução da adversária do PSB; números mostram que está dando certo; como Marina irá reagir?

 Imagem PORTAL BRASIL 247

Os disparos feitos em todas as frentes de campanha pelo PT contra a candidata do PSB, Marina Silva, estão dando resultados. Um dia após pesquisas MDA e Ibope apresentarem números de recuperação da presidente Dilma Rousseff no Brasil e nos Estados chave do Rio de Janeiro e São Paulo, levantamento do instituto Vox Populi, contratado pela revista Carta Capital, apresentou uma dianteira de oito pontos de Dilma sobre Marina em primeiro turno, com 36% e 28%, respectivamente. O candidato do PSDB, Aécio Neves, ficou com 15%.

Na projeção de segundo turno, nova notícia boa para a petista. Marcando 41% contra 42% da adversária, Dilma chegou pela segunda vez a uma situação de empate técnico com Marina, antes apontada pelo MDA. Entre Dilma e Aécio, segundo o Vox, a presidente seria reeleita por 44% a 36%.

Pesquisa Datafolha será divulgada também hoje – e a expectativa é a de que o quadro siga em mudança favorável para Dilma. Além de os ataques disparados pela propaganda do PT sobre pontos frágeis da candidata do PSB, como a posição dúbia sobre o pré-sal e a reafirmada autonomia do Banco Central, há mais um fator: Marina está reagindo mal.

O máximo que a candidata do PSB conseguiu fazer, até agora, foi dizer que está sendo “alvo de muitas pedras”, de “calúnias” e “mentiras”. Mas não está conseguindo convencer a respeito dos improvisos, plágios e paradoxos de seu programa de governo, sua real posição sobre o Pré-Sal e a questão da autonomia do Banco Central. Quanto a esta última, Marina reafirmou que, sim, é isso mesmo o que pretende fazer, “para livrar o BC dos interesses políticos”. Desse jeito, está lutando ao feitio que Dilma, Lula e o marqueteiro João Santana queriam.

Esta foi a primeira pesquisa do instituto depois da morte do ex-candidato do PSB Eduardo Campos e a entrada de Marina Silva na disputa ao Palácio do Planalto. Desta forma, não existe base de comparação com levantamentos anteriores. Os demais candidatos somam 2%. Brancos e nulos seriam 7%. Outros 13% não souberam indicar um candidato ou não quiseram responder.

(http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152966/Vox-Populi-Dilma-abre-8-pontos-sobre-Marina.htm

“Onda Marina” estabiliza, o que poderá ser o início do recuo

Deu no PORTAL BRASIL 247.

Imagem PORTAL BRASIL 247

Após anteciparem estabilização da candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, sondagens encomendadas pelo PT, da presidente Dilma Rousseff, e pelo PSDB, de Aécio Neves agora indicam os primeiros sinais de queda da adversária; desde que assumiu o lugar de Eduardo Campos, ex-senadora passou a ocupar lugar no 2° turno contra a presidente Dilma Rousseff, segundo o Ibope e o Datafolha

A “onda Marina” está prestes a recuar. É o que apontam pesquisas internas do PT, da presidente Dilma Rousseff, e do PSDB, de Aécio Neves.

Segundo o colunista Bernardo Mello Franco, as sondagens encomendadas pelas siglas, que anteciparam a estabilização de Marina na semana passada, passaram a indicar os primeiros sinais de queda da adversária.

Na semana passada, a ex-senadora parou de crescer nas enquetes do Datafolha e do Ibope, mas ainda ameaça a reeleição da presidente Dilma.

CRTL C, CRTL V – Marina e um improviso de Plano de Governo

Deu no PORTAL BRASIL 247.

Imagem PORTAL BRASIL 247

Vem à tona uma nova evidência de que o programa de governo da presidenciável pelo PSB, Marina Silva, foi feito de improviso. Trechos usados no “eixo 3”, sobre “Educação, cultura e ciência, Tecnologia e Inovação”, foram copiados na íntegra de um artigo publicado (acesse aqui) pela edição número 89 da Revista da USP (março/maio 2011), sem citar a fonte nem o autor, como é comum em casos de plágio.

O texto original, “De olho no futuro: a 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação”, foi escrito pelo professor Luiz Davidovich, secretário-geral da 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação para um Desenvolvimento Sustentável. A prática é duramente rechaçada pela comunidade acadêmica e demonstra falta de ética por parte da candidata e de sua equipe de campanha.

Um dos trechos cita a importância de se apoiar a energia nuclear no Brasil e foi retirado horas depois do lançamento do programa pelo PSB, no último dia 29. Em uma errata, o partido lamentou ter incluído o tema como um dos pontos que merecem atenção para o aperfeiçoamento da matriz energética do País e alegou “erro de revisão” para isso.

Há ainda outros trechos retirados da página 144 do programa de Marina que foram copiados do artigo publicado pela Revista da USP sem citação da fonte.

Clique no link abaixo.

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/152368/Plano-de-Marina-tem-mais-exemplos-de-Ctrl-C–Ctrl-V.htm

Robinson Faria utiliza espaço do filho Fábio Faria no programa de televisão e é condenado pela Justiça Eleitoral por “invasão de horário destinado a outro cargo”

Deu na TRIBUNA DO NORTE.

 

O candidato Robinson Faria também foi condenado em outras duas representações sob acusação de “invasão de horário destinado a outro cargo”. As representações 97133 e 97048 foram julgadas pelo juiz Cícero Macedo, magistrado auxiliar da propaganda.

Em ambas as representações a acusação foi que no programa eleitoral da coligação proporcional “Liderados pelo Povo I”, veiculada no dia 26 de agosto, o candidato a governador do PSD fez uso do horário destinado a propaganda dos candidatos a deputado federal, especialmente no espaço do candidato a reeleição Fábio Faria (PSD).

Após examinar o vídeo, observei que, de fato, há menção, claramente expressa através da fala, ao número do representado, candidato ao Governo (Robinson Faria), em horário destinado ao pleito proporcional, de modo a caracterizar a invasão da propaganda, defesa em lei”, escreveu o juiz na sua decisão.

O magistrado analisou ainda que a legislação permite a inserção de depoimento de outros candidatos, desde que o depoimento consista exclusivamente em pedido de voto ao candidato que cedeu o tempo.

O juiz auxiliar Cícero Macedo determinou que a coligação “Liderados pelo Povo” se abstenha de veicular novamente a propaganda e determinou ainda a perda de 4 segundos no horário eleitoral gratuito no espaço destinado a governador do candidato Robinson Faria, sendo 2 segundos em cada turno.

Robinson Faria manipula resultado de pesquisa e é condenado pela Justiça Eleitoral com perda de tempo no programa de televisão

Deu na TRIBUNA DO NORTE.

 

O candidato Robinson Faria, que disputa o Governo pelo PSD, foi condenado ontem em três processos pela Justiça Eleitoral por propaganda eleitoral irregular e manipulação de pesquisa. Nas decisões a penalidade do candidato do PSD foi perda de tempo no programa de televisão.

Na representação número 96793, o candidato Robinson Faria foi condenado a perder 22 segundos do seu programa eleitoral de televisão, turno vespertino. O tempo corresponde ao dobro do tempo usado para a prática da propaganda eleitoral irregular constatada pela Justiça Eleitoral. A decisão foi do juiz federal Marco Bruno Miranda, juiz auxiliar da propaganda eleitoral.

Ele julgou procedente a representação assinada pela coligação União pela Mudança, que tem como candidato Henrique Eduardo Alves (PMDB). A denúncia apontou para o fato de que no dia 25 de agosto o programa eleitoral de televisão de Robinson Faria, no turno vespertino, divulgou uma pesquisa eleitoral feita em Natal, mas a publicidade fez referência como se os números fossem de todo Estado. Os advogados da coligação de Henrique Eduardo Alves mostraram que um dos trechos da divulgação da pesquisa dizia que era “o Rio Grande do Norte votando livre”, quando, os números eram apenas de uma estudo feito em Natal.

O juiz Marco Bruno Miranda ao analisar o processo observou que a pesquisa, embora preencha os requisitos de registro, na publicação feita pela campanha de Robinson Faria houve uma “manipulação da informação”.

O juiz auxiliar também determinou que o candidato se abstenha de veicular novamente a propaganda com a pesquisa.

Para cientista político cada proposta de Marina é feita para um país diferente, além de serem autofágicas e inviáveis: “propostas da REDE, em sua versão PSB, não são sérias”

Deu no PORTAL BRASIL 247.

 

Cientista político diz que cada proposta da candidata do PSB é feita para um país diferente: “Como é possível desprezar o pré-sal, manter os empregos em toda a cadeia produtiva ativada pela Petrobras e investir fortemente na educação e na saúde?”, questiona; professor diz não acreditar que medidas “sejam sérias”; “Não se trata apenas de que as ofertas compõem um programa obscurantista, creacionista, mas de que a proposta, tudo somado, é auto-fágica, inviável”, afirma; ao blog de Paulo Moreira Leite, ele diz que o “fator emocional” dessas eleições, resultado do acidente com Eduardo Campos e do oportunismo seletivo da mídia, deixa a disputa irracional; não fossem esses fatos, Aécio Neves se afirmaria como o “representante consistente” da oposição ao governo da presidente Dilma Rousseff, diz.

 Imagem PORTAL BRASIL 247

As propostas da candidata do PSB, Marina Silva, são feitas, cada uma, para um país diferente, opina o cientista político Wanderley Guilherme dos Santos, em entrevista ao blog do Paulo Moreira Leite, no 247. Segundo ele, “não se trata apenas de que as ofertas compõem um programa obscurantista, creacionista, mas de que a proposta, tudo somado, é auto-fágica, inviável“. “Por isso não creio que as propostas da Rede, em sua versão PSB, sejam sérias“, constata o professor.

Em sua avaliação, o “fator emocional” dessas eleições, resultado da tragédia que matou o candidato do PSB, Eduardo Campos, e do oportunismo seletivo da mídia, deixou a disputa irracional. Não fossem esses fatos, diz ele, o tucano Aécio Neves, que perdeu a segunda posição para Marina nas pesquisas, se afirmaria como o “representante consistente” da oposição ao governo da presidente Dilma Rousseff. “E não seria uma carta fora do baralho”, avalia.

O cientista político diz que a campanha de Marina Silva “propaga a tese de que os problemas do país decorrem da competição entre o PT e o PSDB, cuja superação pela vitória de uma terceira sigla teria potencial para, por si só, encaminhar de forma benéfica todas as soluções que a competição tradicional impede”. Segundo ele, trata-se de um “equívoco de diagnóstico (se é que a candidata e seus assessores acreditam de verdade nele)”.

Questionado se lembra de outro pleito em que a mídia teve um comportamento “tão parcial”, ele responde: “O jornalismo político brasileiro se aproveita exaustivamente das condições institucionais vigentes. Umas são de extrema relevância para a democracia – a liberdade de opinião e de expressar preferência política, por exemplo – outras deixam os cidadãos desarmados face a crimes catalogados nos códigos mas de julgamento e reparação ineficazes. Esse é um dado a ser levado em conta nos cálculos eleitorais, não para formar hipóteses sobre o que aconteceria caso o mundo fosse diferente. Não se dispôs a alterar as regras antes. Agora é contar com elas”.

Leia a íntegra da entrevista a Paulo Moreira Leite, em Wanderley Guilherme: “Proposta de Marina é autofágica, inviável”.

Marina e um crime eleitoral para chamar de seu

Deu no blog TIJOLAÇO.

Imagem blog TIJOLAÇO

Independente do resultado “marquetológico” da entrevista de Marina Silva ao Jornal Nacional – e eu acho que foi desastroso – há um elemento gravíssimo nas declarações da nova candidata do PSB.

Marina confessou o conhecimento de um crime eleitoral e a participação nos benefícios desta transgressão.

Ela confessou saber que o avião era produto de um “empréstimo de boca” que seria “ressarcido” – se é ressarcido, tem preço – ao final da campanha.

Poderia, se fosse o caso, dizer que não sabia dos detalhes da contratação do serviço, feita por Eduardo Campos. Mas está amarrada de tal forma no assunto que teve de se acorrentar à fantasiosa versão do PSB.

Que é uma aberração jurídica e contábil, que não pode prevalecer – e não prevalece – em qualquer controle de contas eleitorais.

Até no Acre de Marina Silva, o TRE distribui um formulário onde o dono de um veículo, mesmo que seja um Fusca 82, tem de assinar a cessão e atribuir o valor em dinheiro do bem.

O que dirá para um jato de R$ 20 milhões!

Não há um contrato sequer, não há preço estabelecido e, sobretudo, as empresas (ou o laranjal) que tinham o controle do avião não se dedicam à locação de transporte aéreo.

É um escândalo de proporções amazônicas.

Só menor do que o escândalo que é, depois de tantas confissões, o silêncio do Ministério Público.

Todos se lembram da Procuradora Sandra Cureau, que por um nada partia para cima do Presidente Lula e da candidata Dilma Rousseff.

Está mudo, quieto, silente.

Acovardado diante dos novos santos da mídia.

A partir de agora, prevalecendo isso, se podem emprestar prédios, frotas, aviões, até uma nave espacial para Marina ir conversar com Deus.

De boca, sem recibo, sem contrato, sem papel.

Na fé.

Marina, o jato, os laranjas e o caixa 2

Deu no PORTAL BRASIL 247.

Imagem PORTAL BRASIL 247

As imagens acima são as primeiras que conectam a ex-senadora Marina Silva ao jato PR-AFA, que desabou em Santos há 15 dias, matando o ex-governador Eduardo Campos e outras seis pessoas.

A aeronave pertencia ao grupo AF Andrade, de usinas falidas de etanol em São Paulo, e foi repassada a amigos de Eduardo Campos, que assumiram o pagamento de parcelas pendentes do leasing. Para isso, montaram uma escabrosa operação financeira, com o uso de laranjas. O principal pagamento veio de Eduardo Ventola, dono, em Recife, de uma factoring, tipo de empresa normalmente usada para esquentar recursos de caixa dois.

Ontem, no Jornal Nacional, Marina Silva afirmou que não sabia quais eram as condições da aeronave e comprou a versão do PSB, sobre um empréstimo que seria pago no fim da campanha.

Uma tese, no mínimo, curiosa. Afinal, o que levaria três empresários de Pernambuco a assumir empréstimos com um dono de factoring para comprar um avião que eles próprios não usariam? Ontem, em Santos, Antônio Campos, irmão do ex-governador, visitou vítimas do desastre e prometeu que a família poderia pagar os danos materiais. Um sinal de que a família, indiretamente, assume a propriedade do avião e tenta conter os danos políticos da lambança.

Nova pesquisa confere liderança de Dilma, estagna percentual de Marina e aumenta queda de Aécio

Deu no PORTAL BRASIL 247.

Imagem PORTAL BRASIL 247

A presidente Dilma Rousseff (PT) lidera a corrida presidencial, com 34,2% das intenções de voto, aponta pesquisa divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) na manhã desta quarta-feira 27, realizada pelo instituto MDA.

A ex-senadora Marina Silva, candidata pelo PSB, alcançou 28,2% da preferência do eleitorado e assumiu a segunda posição no lugar de Aécio Neves, do PSDB, com 12 pontos de vantagem. O senador tucano registrou 16% das intenções de voto. Pastor Everaldo, do PSC, marcou 1,3%.

Numa simulação de segundo turno entre Dilma e Marina, a ex-senadora seria eleita com 43,7% dos votos, contra 37,8% de Dilma. A candidata do PSB também venceria Aécio, com 48,8% dos votos, contra 25,2% do tucano. Já em um embate entre a petista e Aécio Neves, a presidente seria eleita com 43% dos votos, dez à frente de Aécio, que teria 33,3%.

Na pesquisa de abril, ainda com Eduardo Campos na disputa, Dilma registrou 37% das intenções de voto, contra 21,6% do tucano Aécio Neves e 11,8% do então candidato do PSB. O levantamento divulgado hoje foi o primeiro do instituto após a morte do ex-governador de Pernambuco e com Marina Silva à frente da candidatura do PSB.

Foram entrevistadas 2.002 pessoas em 137 municípios de 24 estados das cinco regiões, entre os dias 21 e 24 de agosto. A MDA fez a pesquisa com o nome de Marina Silva entre as opções de voto um dia depois da oficialização da candidatura da ex-senadora à presidência pelo PSB.