Do ‘Corredômetro’ da saúde do RN ao ‘Desconfiômetro’ de Robinson Faria

Foto Aldair Dantas_TN
Foto Aldair Dantas_TN

Em greve há quase duas semanas, os sofridos servidores da saúde do Estado do RN seguem contabilizando números negativos de pacientes que agonizam nos corredores dos principais hospitais do Estado. A saber: Walfredo Gurgel e Santa Catarina (em Natal), Deoclécio Marques (em Parnamirim) e Tarcísio Maia (em Mossoró).

Lançado na tarde de ontem (24), em ato na porta do Walfredo Gurgel, o “corredômetro” inaugura o seu placar com 101 pacientes em macas improvisadas distribuídas pelos corredores e em salas inapropriadas desses quatro hospitais.

O corredômetro servirá para que a população saiba a real situação do sistema de saúde, e venha nos apoiar para exigir ao governo uma saúde de qualidade”, afirmou Simone Dutra, coordenadora-geral do Sindsaúde-RN.

O contador do abandono – corredômetro – também serve para identificar o tempo de permanência e espera por um leito, que chega a 45 dias para um paciente que está em uma dessas macas no Walfredo Gurgel.

A ideia, copiada do Ceará, atinge em cheio a inoperância do Estado e expõe à sociedade as mazelas e o descaso do Governo Robinson Farias com a saúde dos potiguares.

Aliás, cadê o birô que Robinson, ainda enquanto candidato, prometeu colocar no Walfredo Gurgel, de onde iria despachar pessoalmente as demandas da saúde, uma prioridade em seu discurso?

A falta de comprometimento do governador com a saúde merece mais um instrumento a ser inaugurado, com urgência e emergência: o “Desconfiômetro”.

Só não sei se resolve alguma coisa!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *