Oceânica participa do Fórum Mundial da Água

A Ong apresenta a terceira fase do Projeto Ponta de Pirangi, que cresceu em sua área de atuação, além de uma agenda participativa durante todo o evento

 

O Projeto Ponta de Pirangi, realizado pela ONG Oceânica e patrocinado pela PETROBRAS através do Programa Petrobras Socioambiental, participa ativamente entre os dias 18 e 23 de março do 8º Fórum Mundial da Água, que será realizado em Brasília/DF. O evento pretende reunir cerca de 30.000 pessoas, entre representantes da ONU, chefes de Estado e participantes de 150 países para discutir temas relacionados aos recursos hídricos e promover a maior conscientização coletiva a respeito dos temas ligados a água. O tema do encontro, que acontece pela primeira vez no Brasil, será “Compartilhando Água”.  O objetivo, segundo os organizadores, é estabelecer compromissos políticos relacionados aos recursos hídricos e incentivar o uso racional, a conservação, a proteção, o planejamento e a gestão da água em todos os setores da sociedade.

A participação da Oceânica no Fórum tem uma agenda bem diversificada, em todos os dias do evento. No dia 19 de março entregará ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) a proposta da criação de uma Área de Proteção Costeira Marinha no litoral sul potiguar. “Este será um momento importante para a ONG Oceânica, um reconhecimento da riqueza da biodiversidade local já constatada pelas pesquisas e órgãos ambientais ao longo das fases iniciais do Projeto Ponta de Pirangi. Na fase 3, teremos espaços de discussão, oficinas e fóruns com parceiros e comunidade sobre “Que litoral queremos?” com vistas ao ordenamento e conservação do litoral e espaços costeiros”, informa Lígia Rocha, Coordenadora de Programas e Projetos da Oceânica.

 

Biodiversidade de Pirangi

Desde maio de 2014, o litoral de Parnamirim e Nísia Floresta é área foco de conservação, indicada no Plano de Ação Nacional dos Ambientes Coralíneos (PAN Corais), pelo Ministério do Meio Ambiente. Com esta conquista alcançada em parceria com a UFRN, a região passou a ter relevância nacional.  A inclusão da região sul do litoral potiguar no PAN Corais decorre da relevância da sua biodiversidade e da grande pressão antrópica existente na região, resultado da proximidade da área metropolitana da Grande Natal, dos diversos usos do mar e da falta de ordenamento no litoral. Cerca de 500 espécies já foram identificadas na região, cuja fauna envolve desde os invertebrados como corais, esponjas e lagostas, aos vertebrados como peixes, tartarugas, golfinhos e a baleia Jubarte. São considerados ecossistemas frágeis e complexos compostos por uma grande diversidade de organismos que abrigam desde espécies endêmicas a espécies mais amplamente distribuídas com diferentes graus de associação entre si, mas que dependem do equilíbrio ecológico destes ambientes.

 

Parceria da Oceânica com SOS Mata Atlântica

Nos dias 20 e 21, a Oceânica apresenta sua parceria com o SOS Mata Atlântica, que acontece desde março de 2017, no projeto Observando Rios. A Ong monitora as águas do Rio Pirangi, e auxilia na divulgação desse projeto no RN. As informações sobre a qualidade das águas dos rios onde ocorre Mata Atlântica nos 17 Estados brasileiros estão disponíveis no portal do SOS Mata Atlântica.   “Durante o Fórum apresentaremos o trabalho desenvolvido na Oceânica integrando o monitoramento do Rio Pirangi e o cuidado com as águas litorâneas e bens costeiros marinhos. “Chamaremos atenção para a qualidade das águas dos rios e estuários que desaguam no litoral, que são de fundamental importância para termos um oceano saudável em toda sua biodiversidade”, explica Lígia.

 

Ponta de Pirangi no stand Petrobras

Na quinta-feira (22), data que se comemora o Dia Mundial da Água, a Oceânica apresenta a 3º fase do Projeto Ponta de Pirangi no stand da Petrobras. O Projeto Ponta de Pirangi realizou atividades socioambientais envolvendo a costa do litoral Sul potiguar dos municípios de Parnamirim e Nísia Floresta durante duas fases nos anos de 2010 a 2011 e 2014 a 2016. Este ano, lança sua terceira fase de atuação estendendo sua abrangência para Macau/RN. “Além das atividades diretamente realizadas nos municípios de Macau, Parnamirim e Nísia Floresta, o projeto também envolve a Rede MangueMar que abrange toda a costa potiguar, estando assim também diretamente relacionada a área de atuação da PETROBRAS em terra e mar no litoral norte do RN”, explica Joane Batista, Presidente da Oceânica.

Para a Oceânica, participar do Fórum Mundial das Águas levando o Projeto Ponta de Pirangi é de fundamental importância tanto para o reconhecimento do litoral sul do Rio grande do Norte como área prioritária para conservação pelo ICMbio, quanto para apresentar em escala global as atividades que o projeto desenvolve no Rio Grande do Norte. Além disso, precisamos reconhecer a importância das águas brasileiras em um grande ciclo onde em todas as suas etapas precisam de cuidados para que a vida seja possível e sustentável para todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *