Blog editado a partir de Natal/RN - Brasil.

Publicidade
Instagram
Twitter
Publicidade
Buscar
Calendário
setembro 2017
S T Q Q S S D
« ago    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Prefeitura do Natal entrega novos serviços na Unidade Pescadores no bairro das Rocas

O prefeito Carlos Eduardo inaugurou na tarde desta quinta-feira (17) o Centro Integrado de Serviços em Saúde – Unidade Pescadores, no bairro das Rocas, de forma diferente do que era oferecido anteriormente à população. Agora, a Unidade Pescadores atende a quatro programas importantes para o andamento da Saúde Municipal, com melhor estrutura. Os programas que já faziam parte da Secretaria de Saúde de Natal, como Prae – Programa de Acessibilidade Especial – Porta a Porta, Sad – Serviço de Atendimento Domiciliar e ProSus (programa de distribuição de medicamentos e insumos para os usuários), passam a funcionar nas Rocas no mesmo local onde são realizadas as oficinas do Centro de Convivência de Saúde Mental, um novo suporte aos Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas – Caps. O investimento feito na obra de adequação do local, com recursos da Prefeitura, foi de R$ 180 mil.

A concentração desses programas na Unidade Pescadores é importante por proporcionar um local com melhor infraestrutura ao desenvolvimento das ações, além de oferecer maior comodidade aos servidores e usuários quando necessitam de atendimento no local. Anteriormente, os programas Prae, Sad e ProSus funcionavam em locais com estruturas arranjadas, que não eram ideais, principalmente, no que diz respeito a acondicionamento de medicamentos e insumos. “São quatro serviços que tiveram adequações dignas para que se desempenhe o seu trabalho. Serviços essenciais que estavam em outras áreas precárias e que aqui ganham as condições para que possa melhorar a assistência de saúde em Natal”, afirmou o prefeito Carlos Eduardo, referindo-se às novas instalações da Unidade.

“Com a implantação do Centro de Convivência da Saúde Mental nesta unidade, a população de Natal ganha com um serviço diferenciado, que não existia na rede ainda”, afirma Maria da Saudade Azevedo, secretária adjunta de Atenção Integrada à Saúde. Segundo a coordenadora do Centro de Convivência de Saúde Mental, Marcelle Janine Silva, as turmas das oficinas de música, dança, artes visuais e artesanato, entre outras atividades oferecidas aos usuários das dos Caps da cidade, são uma expansão do que já era oferecido antes em cada unidade, só que agora em ambiente totalmente voltado às artes. Neste projeto atuam dois psicólogos e um arte-terapeuta, além de todos os profissionais que atuam na rede Caps. A produção de artesanato do local será levada a feiras de artes e artesanato realizadas em Natal, para ser comercializado e a renda revertida para o próprio programa.

O atendimento no Centro de Convivência de Saúde Mental tem portas abertas e normalmente são cerca de 40 a 50 pessoas atendidas por dia, durante as oficinas. O serviço funciona das 8h às 17h, e conta com parceiros da comunidade, como a Banda Pau e Lata que integra a Musicaps, que se apresentou nesta tarde no local; tendo ainda como parceira professora Jamila, de dança do ventre; Escola de Capoeira Nova União; a biblioteca pública que funciona também no bairro das Rocas; e o IFRN, unidade Rocas, com trabalho voltado para o audiovisual.

Todos estes programas já estão funcionando no Centro Integrado de Serviços em Saúde no térreo do prédio. No primeiro andar, ainda em andamento, funcionará um anexo do Hospital Municipal Dr Newton Azevedo, com 30 leitos de enfermaria para atender a pacientes de longa internação e com internação para tratamento paliativo. A previsão é de que a obra para a instalação desses leitos que se somarão aos 86 já existentes no Hospital Municipal, inicie até o final deste primeiro semestre. Para a obra desta ala, foi investido cerca de R$ 600 mil, financiamento do Ministério da Saúde. Com a adequação do local e instalação de equipamentos necessários, sendo com recursos próprios do Município, o valor total deve chegar a R$ 1,8 milhão.

 

ATENDIMENTOS

Para ter ideia da necessidade de um local com estrutura adequada para seu funcionamento, o ProSus ilustra bem essa realidade. Distribuidor de medicamentos e insumos (muitos deles necessitando de acondicionamento especial), o programa atende a aproximadamente três mil pessoas em Natal, com distribuição desde insulina e fraldas a bexiga neurogênica. Antes, esse serviço era ofertado na Policlínica Dr. José Carlos Passos, no bairro da Ribeira.

O Serviço de Atendimento Domiciliar, que também passou a funcionar na Unidade Pescadores, nas Rocas, tem vínculo estreito com o Hospital Municipal de Natal Dr. Newton Azevedo. É o acompanhamento dos pacientes que têm alta hospitalar mas necessitam ainda de atendimento da equipe multidisciplinar, seja ele médico, fisioterapêutico ou nutricional. Atualmente, são cerca de cem pacientes fixos, neste programa, acompanhados por uma equipe que realiza visitas programadas e orienta familiares sobre os cuidados diários, inclusive disponibilizando cursos para os cuidadores.

O Programa de Acessibilidade Especial – Prae, também é considerado de extrema importância para os usuários da rede municipal de Saúde. É responsável pelo transporte de 1.433 usuários fixos, com mobilidade comprometida ou sem nenhuma condição de mobilidade para realizar tratamento ou mesmo consultas médicas e exames. Desse total, a maioria é de pacientes da hemodiálise, 915, mas atende ainda a pacientes que necessitam de fisioterapia (pacientes vítimas de acidentes de trânsito, por exemplo, que ficaram incapacitados), ou de curativos. Além desses pacientes fixos, atualmente, o Prae também responde por remoção de pacientes entre as unidades de Saúde do Município, e o transporte, quando necessário, de paciente com alta hospitalar.

Para atender a esse universo de usuários que circula entre os hospitais que atendem à rede, Hospital Municipal e Memorial, às maternidades Leide Moraes e Araquen Pinto, às Upas, Policlínicas e Postos de Saúde, a estrutura conta com sete ambulâncias, duas vans, cinco microônibus (todos adaptados para cadeirantes), 10 carros passeio e cinco carros modelo Doblô (sendo dois deles adaptados para cadeirantes).  O programa funciona em sistema de plantão, e os motoristas que atuam diretamente no transporte, têm que ter conhecimento de atendimento à saúde.

(Fotos João Maria Alves)

Deixe o seu Comentário!