Como identificar a intoxicação alimentar?

Ter cuidado com a higiene das mãos e alimentos facilita prevenção

 

Com a correria do dia a dia, as opções mais práticas para alimentação são escolhidas. A seleção para algo mais saudável é, às vezes, deixada de lado, ainda mais quando o cardápio oferece uma ampla variação de comidas rápidas, como, por exemplo, pastéis, salgadinhos e bebidas gaseificadas.

Esses casos podem colocar a saúde em risco e se agravam ao primeiro sinal de problemas no organismo. “Essas situações ocorrem nos alimentos ou bebidas contaminadas com micróbios causadores de doenças que se espalham no trato gastrintestinal por possuíram uma variedade de bactérias, vírus e parasitas’’, explica Paulo A. Sampaio, clínico geral do Hapvida Saúde.

 

Os sintomas

Febre, diarreia, dor abdominal, náuseas, que caracterizam a infecção alimentar, variam de acordo com a causa. Segundo o especialista, as mais comuns são devido às bactérias Campylobacter, E. coli O157:H7 e Salmonella, e também por um grupo de vírus chamado calicivirus.

Muitos micróbios podem se espalhar de mais de uma forma, de modo que não é possível sempre saber se a doença foi de origem alimentar. Essa distinção é importante, uma vez que precisamos identificar como uma doença está se espalhando, para tomar as medidas apropriadas, a fim de combatê-la’’, alerta o médico.

Ao alerta desses sintomas acompanhados de desidratação como diminuição na urinação, boca ou garganta seca, tonteira quando levanta, deve-se consultar o médico. Lavar as mãos cuidadosamente pode prevenir que a infecção se espalhe para outras pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *